Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Judicialização excessiva

Lula veta lei que exige graduação de oficial de Justiça

A exigência de ensino superior em Direito para os próximos candidatos aos cargos de Oficiais de Justiça não foi bem vista pelo presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. O Projeto de Lei 107/97, aprovado no mês passado pelo Senado, foi vetado e agora voltará ao seu lugar de origem (Senado). Se a lei fosse sancionada pelo presidente Lula, os Tribunais de Justiça de todo o país teriam de exigir, nos próximos concursos, formação em Direito, como requisito para ingresso na carreira.

O autor do projeto, deputado Cezar Silvestri (PPS-PR), argumentou que os Oficiais de Justiça são os responsáveis pelo cumprimento de todas as decisões dos juízes, como buscas, apreensões, prisões, intimações, citações, seqüestros de bens, avaliações, verificação judicial, penhoras, arrestos, mandados de segurança, busca e apreensão de menores. Ou seja, são funções de complexidade jurídica e, assim, é do interesse da Justiça que eles tenham curso de Direito

De acordo com informações do portal UOL, a orientação para que a lei fosse vetada veio da Advocacia-Geral da União, que afirma que o projeto versa sobre matéria que, de acordo com entendimento pacificado no Supremo Tribunal Federal, se insere na esfera de iniciativa privativa do Poder Judiciário.

“A AGU diz que o projeto deveria ter vindo do Judiciário, e não do Legislativo. Queremos então que o STF se manifeste, apontando a concordância com o projeto”, diz Ada Müller Rufino, diretora administrativa e financeira da Fojebra (Federação das Entidades Representativas dos Oficais de Justiça Estaduais do Brasil).

Agora, a Federação quer agendar uma audiência com o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, para pedir que ele encaminhe uma mensagem de apoio ao projeto.

Em nota publicada no site da Fojebra, o presidente da entidade, Paulo Sérgio Costa da Costa, diz também que já tomou “providências de fazer contato junto à presidência do Senado Federal no sentido de que, logo seja recebido a mensagem do STF, consigamos mobilizar novamente as lideranças a fim de derrubar o veto”.

Revista Consultor Jurídico, 10 de agosto de 2008, 13h25

Comentários de leitores

18 comentários

Qualquer curso superior já está de bom tamanho.

Bira (Industrial)

Qualquer curso superior já está de bom tamanho.

Zerlottini, perdoe-me, mas você não percebeu, n...

Baraviera (Bacharel)

Zerlottini, perdoe-me, mas você não percebeu, não? Não existem mais universidades, têm apenas o nome, em grande quantidade, mas que nada ensinam!

Ana Lúcia, qualidade no serviço público não é i...

fabioramos (Oficial de Justiça)

Ana Lúcia, qualidade no serviço público não é interesse PÚBLICO? Por favor né oh! Aos demais que são contra o projeto de lei sugiro que façam, junto à OAB um movimento para que na Justiça Federal o cargo de Oficial de Justiça volte a ser de nível médio. Pra que né? Por que será que os serviços na Justiça Federal tem melhor qualidade? Por que historicamente temos no Brasil 02 Justiças completamente diferentes: a Estadual (decadente, com funcionários mal remunerados, as veze pagando para trabalhar devido as inúmeras e abusivas ASSISTÊNCIAS JUDICIÁRIAS concedidas) e a Federal, com funcionários qualificados, bem remunerados, reconhecidos? Para Avaliar um imóvel não é preciso qualificação? E os casos em que o Oficial de Justiça se depara com situação não descrita nos autos, o seu comportamento dentro da lei não depende de graduação em Direito? Procurem o parecer do Ministro Néri da Silveira que elevou o cargo de OJ na Justiça Federal em 1979 e depois por favor, voltem a opinar.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.