Consultor Jurídico

Rodízio na defesa

Pimenta Neves contrata advogado que dividiu cela com ele

Por 

O jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves, condenado pelo assassinato da também jornalista Sandra Gomide, vai trocar de advogado pela quarta vez. Quem assume sua defesa é José Alves de Brito Filho, no lugar dos advogados Carlo Frederico Müller e Ilana Müller.

Pimenta Neves teria conhecido Brito Filho quando os dois estiveram presos juntos no 77º Distrito Policial de São Paulo, há cerca de seis anos. Na mesma cela, também esteve por um período o juiz aposentado Nicolau dos Santos Neto. Brito Filho foi preso sob acusação de subtração de processos judiciais e formação de quadrilha, chegou a ser condenado a quatro anos de prisão mas teve a condenação anulada pela Justiça.

O advogado negou à Consultor Jurídico que tenha conhecido o jornalista na cadeia, mas preferiu não revelar quando o conheceu. Britto Filho confirmou ser o novo defensor de Pimenta Neves e que o substabelecimento de todas as ações (transferência de um advogado para outro) foram feitas em seu nome, mas disse que atuará apenas na área cível — nesta esfera, os pais de Sandra Gomide movem ação de indenização por danos morais contra Pimenta Neves. “O advogado que atuará nas ações criminais será escolhido nos próximos dias”, afirmou.

Há dois meses, Brito Filho esteve com Pimenta Neves no escritório de um reconhecido criminalista em São Paulo, mas nada foi acertado. A advogada Maria José da Costa Ferreira, que já atuou no caso, teria sido convidada para voltar à defesa. A advogada não foi encontrada em seu escritório para confirmar o convite.

Procurado pela revista Consultor Jurídico, Carlo Frederico confirmou que ele e sua irmã deixaram o caso, mas não falou sobre os motivos: “Razões de foro íntimo”, disse. Advogados que passaram antes pelo caso já atestaram a dificuldade de trabalhar com Pimenta Neves, que dá palpites além da conta nos rumos de sua defesa.

O primeiro advogado de Pimenta Neves foi Antônio Claudio Mariz de Oliveira. Em seguida, o jornalista foi defendido por Arnaldo Malheiros Filho e José Carlos Dias. Depois, entrou no caso a advogada Maria José da Costa Ferreira. Com a saída de Maria José, a defesa foi assumida pelos irmãos Müller, agora substituídos por Brito Filho.

Sete anos

No dia 20 de agosto passado, o assassinato da jornalista Sandra Gomide completou sete anos. Em 5 de maio de 2006, Pimenta Neves foi condenado em primeira instância a 19 anos, 2 meses e 12 dias de prisão em regime integralmente fechado.

Em 13 de dezembro passado, a condenação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo e a pena reduzida para 18 anos. Pimenta Neves aguarda julgamento de recurso em liberdade, por decisão do Superior Tribunal de Justiça.




Topo da página

 é chefe de redação da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 25 de outubro de 2007, 19h48

Comentários de leitores

18 comentários

Em tempo, Ha uma moça morta, brutalmente e p...

Cissa (Bacharel - Administrativa)

Em tempo, Ha uma moça morta, brutalmente e pelas costas. Ha um assassino solto.

Há coisas que não se pode dizer serem mentira...

Cissa (Bacharel - Administrativa)

Há coisas que não se pode dizer serem mentiras: A uma moça morta, brutalmente e pelas costas. A um assassino solto.

Sou a advogada Maria José da Costa Ferreira, me...

Maria Jose da Costa Ferreira (Advogado Sócio de Escritório)

Sou a advogada Maria José da Costa Ferreira, mencionada no artigo, fato que me obriga a lhes responder, pois, em várias oportunidades, esse conceituado site tem noticiado fatos que não condizem com a realidade. Seria de esperar que uma consulta às partes fosse feita, até para proteger o redator de eventual acusação de inconsequente ou manipulável. O artigo informa que fui procurada, mas nem eu nem meus colegas e secretárias temos registro disso. Por outro lado, ainda que não tenha sido procurada, informo-lhe que fui convidada e aceitei o convite de Pimenta Neves para reassumir sua defesa no processo criminal. Quero realçar que fui advogada de Pimenta Neves durante quase cinco anos, a partir de meados de 2001, e somente deixei sua defesa por motivos de saúde. Há que se referir, ainda, que as dificuldades encontradas para trabalhar na defesa do Dr. Pimenta Neves, não se devem aos “palpites” do Jornalista - que, aliás, pode e deve participar de tudo relacionado à sua defesa, graças às suas vastas cultura e competência - mas, sim, às mentiras e distorções propaladas a respeito do caso e aos efeitos que tais divulgações provocam na mente do público e até de juízes que julgam mais cômodo nadar com a corrente da fantasia do que buscar a verdade. Maria José da Costa Ferreira, do escritório Francez e Costa Ferreira - Advogados Associados

Nota da Redação:
O jornalista procurou ouvir a advogada na quinta-feira, 25 de outubro. Deixou recado com a secretária e pediu retorno. Em vão. Os registros telefônicos podem comprovar a ligação feita ao escritório da advogada.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/11/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.