Consultor Jurídico

Troca de limite

PCdoB contesta teto remuneratório no Tribunal de Contas baiano

O PCdoB está questionando o critério de fixação do teto remuneratório para os servidores do Tribunal de Contas da Bahia. O partido apresentou, no Supremo Tribunal Federal, Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o ato normativo do TC-BA que fixa o teto com base no salário dos conselheiros do tribunal, e não no dos deputados estaduais.

Segundo o PCdoB, o Supremo já reconheceu que “esses tribunais devem prestar contas de seus próprios gastos às casas legislativas e consagrou entendimento de que, apesar de não serem órgãos prepostos, os tribunais de contas integram o Poder Legislativo”.

No entanto, diz o partido, o Tribunal de Contas baiano alega ter uma situação peculiar, por não integrar o Poder Legislativo, devendo fixar sua limitação remuneratória com base "na maior expressão hierárquica encontrada em seus próprios quadros”.

O PCdoB requer o deferimento de medida liminar para suspender de imediato a eficácia do ato questionado. Ao final, pede a declaração de inconstitucionalidade do ato normativo, com eficácia ex tunc (retroativa).

O ministro Menezes Direito é o relator da ADI.

ADI 3.977




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 23 de outubro de 2007, 0h00

Comentários de leitores

1 comentário

Sempre a velha história de alguém tentando burl...

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Sempre a velha história de alguém tentando burlar o art. 37 da CF! Esses tetos remuneratórios atrapalham a vida do peão!

Comentários encerrados em 31/10/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.