Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mercado Jurídico

Advogado chega à presidência da farmacêutica Astrazeneca

Por 

O advogado José Carlos Buechem é um dos novos presidentes da farmacêutica Astrazeneca. Com a transferência do antigo presidente para a Austrália, a matriz decidiu colocar a empresa nas mãos de Buechem e de Fernando Almeida, diretor de negócios. É uma co-presidência. A explicação para a chegada de um advogado ao mais alto cargo e de sua influência na tomada de decisões pode estar na relevância que as discussões jurídicas têm tomado nos últimos tempos. Na farmacêutica, o contencioso gira em torno de questões contratuais, comerciais e de compliance. Fora as trabalhistas e tributárias.

Buechem vai acumular a co-presidência com a direção do jurídico da Astrazeneca. É carioca, formado em Direito pela Faculdade de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. E também é engenheiro-químico. Está na Astrazeneca há um ano. O seu currículo é denso. Passou quatro anos no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), dez na Unilever e mais quatro na farmacêutica Sanofi-Aventis.

Compra na Índia

O brasileiro Machado Associados Advogados e Consultores assessorou a canadense Novelis Inc. na aquisição da Hindalco, maior companhia de metais ferrosos da Índia. A operação foi avaliada em US$ 6 bilhões. A Novelis Inc., através de sua subsidiária, possui várias operações no Brasil. A sua unidade de laminação no estado de São Paulo é uma das maiores e mais avançadas do mundo.

Clientes varejistas

O advogado Wilson Mello Neto deixou a vice-presidência do Wal-Mart Brasil para retornar ao escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice. Durante os três anos que trabalhou na rede varejista, ocupou quatro cargos: presidente do Instituto Wal-Mart; vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados; vice-presidente da Associação Paulista de Supermercados; e diretor-executivo do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo.

Nascido em Franca, no interior paulista, Wilson Mello se formou em direito pela PUC-SP em 1995. Chegou no Machado, Meyer, para criar uma área específica para clientes varejistas, incluindo o Wal-Mart. A banca assessora o Wal-Mart desde seu ingresso no mercado brasileiro. Atuou tanto em seus projetos de expansão, como nas aquisições das redes de supermercado Bompreço e Sonae.

Volta à advocacia

Como não conseguiu se reeleger deputado federal, Luiz Antonio Fleury Filho voltou à advocacia. Ele é advogado associado do escritório Almeida Alvarenga e Advogados Associados, do amigo Luiz Antônio de Almeida Alvarenga. Fleury vai atuar na área de Direito Público e Empresarial.

Direito Autoral

O advogado Paulo Visani Rossi é o novo parceiro do escritório Mendonça do Amaral Advocacia. A titular da banca, que tem sede em São Paulo, é a Sylvia Maria Mendonça do Amaral. As principais demandas do escritório se concentram nas áreas de cível e Direito da Família. O novo parceiro vai reforçar a atuação na área de Direito Autoral.

Revisão da coisa julgada

Os sócios do Barioni e Carvalho Advogados participam do curso “Revisão da Coisa Julgada”, na Aasp (Associação dos Advogados de São Paulo), do dia 26 ao 29 de março. O advogado Fabiano Carvalho coordena o curso e palestra sobre “Ação Recisória – fundamentos e aspectos procedimentais”. O sócio Rodrigo Barioni fala sobre “Embargo á execução e impugnação ao cumprimento da sentença”. As informações podem ser feitas através do site da Aasp.

Lei de Falências

A edição 2006 da premiação Deal of the year, promovida pela revista inglesa Latin Lawyer, escolheu a reestruturação da Parmalat como um dos três melhores acordos judiciais durante o ano. A negociação foi conduzida pelo escritório Felsberg e Associados. O destaque se deu pela aplicação da nova Lei de Falências. Essa é a terceira vez que a banca é citada em rankings internacionais. Em 2001, recebeu o Deal of the Year, da revista Latin Finance, e o prêmio Project of the Year, pela revista Project Finance.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 9 de março de 2007, 0h01

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 17/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.