Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Chefe do escritório

Toffoli é escolhido para chefiar a Advocacia-Geral da União

Por 

O advogado José Antônio Dias Toffoli foi escolhido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para comandar a Advocacia-Geral da União. A transmissão do cargo será na próxima segunda-feira (12/3), às 14h, em Brasília.

Toffoli passou a tarde desta quarta-feira (7/3) em reuniões na AGU com o atual ministro Álvaro Augusto Ribeiro Costa, que pilota a instituição desde 2004. Uma das preocupações imediatas do novo advogado-geral da União deve ser a atuação no Supremo Tribunal Federal.

Alguns temas já estão agendados para as próximas semanas. Um deles é o pedido do Paraná para que a União seja condenada a repassar compensação previdenciária ao estado. A próxima está nos processos que tratam de indenização por terras desapropriadas para criação de reservas indígenas.

Para o ministro aposentado Carlos Velloso, que já esteve na presidência do Supremo e do Tribunal Superior Eleitoral, o nome de Toffoli foi uma boa escolha. “É um jovem advogado, idealista e muito competente. Conheço bem o trabalho dele. Ele militou muito tempo no TSE quando eu era presidente. Vai exercer com honra e dignidade o cargo de advogado-geral da União”, disse Velloso à revista Consultor Jurídico.

Para Velloso, a trilha já está bem feita na AGU. Ele ressaltou o trabalho de Gilmar Mendes e Álvaro Augusto. “Agora, é só tocar a máquina. Ela está azeitada”, diz.

Perfil

José Antônio Dias Toffoli, 39 anos, foi subchefe da Casa Civil para assuntos jurídicos na época em que o chefe era José Dirceu. Era o responsável pela análise legal de praticamente todos os projetos de interesse do Executivo, além de elaborar as Medidas Provisórias assinadas pelo presidente Lula.

Toffoli chegou a ser cotado para assumir a cadeira do ministro Carlos Velloso, aposentado compulsoriamente em 2006, no Supremo Tribunal Federal. Especialista em legislação eleitoral, Toffoli foi assessor da campanha de Lula em 1998 e 2001 e advogado eleitoral do PT nas últimas eleições. O nome de Toffoli para assumir a AGU já vinha sendo ventilado há alguns meses. Também figurava na lista o nome de Antenor Madruga, advogado da União de carreira.

 é correspondente da Revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 7 de março de 2007, 18h26

Comentários de leitores

10 comentários

Por essas e outras que os recém-concursados par...

Observador (Outros)

Por essas e outras que os recém-concursados para as carreiras da AGU denominam seu pagamento de "bolsa de estudo" e não de "salário". A escolha feita resume-se às seguintes palavras: - privatização da coisa pública. - aparelhamento estatal; - desprestígio com as carreiras de Estado; Curiosamente, fenômenos combatidos pelo PT, até recentemente (entenda-se chegar ao Poder). Vamos ver o que o "Amigo do Rei" fará para evitar a contínua e progressiva evazão de quadros da AGU para outras carreiras jurídicas.

A nomeação do tal dr. Toffoli é legal, sem dúvi...

Ruberval, de Apiacás, MT (Engenheiro)

A nomeação do tal dr. Toffoli é legal, sem dúvida, mas causa incomodação aos colegas da AGU ter um chefe que não é de seus qaudros, sobretudo por haver gente do mais alto gabarito para ser também indicada, o que indica ser a AGU um dos primos pobres dentro do Executivo. Ora, tal como na PGR, na AGU deveria haver os mesmos critérios para nomear o Chefe Geral.

Parabenizo o Presidente Lula pela escolha. ...

Borges da Silva (Professor)

Parabenizo o Presidente Lula pela escolha. O cargo exige uma pessoa de confiança, dotada de capacidade jurídica, requisito preenchido pelo Dr. Toffoli. Na inciativa privada existem excelentes profissionais - possivelmente os melhores - razão pela qual não se pode criticar a decisão unicamente porque não teve um servidor de carreira como escolhido.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.