Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cúpula paulista

Ribeiro dos Santos é eleito para Órgão Especial do TJ paulista

Por 

O desembargador Luiz Carlos Ribeiro dos Santos, presidente da Seção Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, foi eleito membro do Órgão Especial — colegiado de cúpula do tribunal formado por 25 desembargadores. Ribeiro dos Santos recebeu 64 votos.

Outros oito desembargadores também disputavam a vaga. Em segundo lugar ficou Armando Toledo, com 48 votos, seguido por José Roberto Bedran (45 votos) e Mário Devienne Ferraz (39 votos). Votaram 310 desembargadores e faltaram 44. Apesar de ganhar a vaga, a votação de Ribeiro dos Santos foi considerada baixa. A surpresa ficou por conta da boa votação em Armando Toledo.

Esta foi a primeira eleição do colegiado sob o crivo das novas regras, aprovadas em abril. Em maio do ano passado, o Conselho Nacional de Justiça determinou que a metade das vagas dos órgãos especiais dos tribunais seria ocupada por eleições. O mandato de cada membro da metade eleita será de dois anos, admitida uma reeleição. Nos tribunais que o órgão especial tiver número ímpar de membros a apuração das metades será feita arredondando para cima o número de vagas a ser ocupadas pelo critério de antiguidade.

O Órgão Especial é formado por 25 desembargadores. Desses, 17 são membros natos, escolhidos pelo critério de antiguidade. Os outros oito foram eleitos no ano passado, em votação direta e secreta. A vaga aberta foi deixada pelo desembargador Laerte Nordi — membro nato — que se aposentou em abril.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 16 de maio de 2007, 13h04

Comentários de leitores

2 comentários

A matéria não faz jus a pleito realizado no Tri...

Luis Antonio Ganzerla (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

A matéria não faz jus a pleito realizado no Tribunal de Justiça, em clima de harmonia, ética, esquilibrio e serenidade, como era de se esperar de integrantes da Magistratura paulista. Pautou-se pela divisão de preferências entre os inúmeros candidatos (nove), todos Magistrados de escol, cultos, com prestígio e vários anos de bons serviços prestados ao Poder Judiciário. Divididos os eleitores, naturalmente verificou-se a parca diferença de votos, entre um e outro postulante. Assim, data venia, o resultado não causou surpresa, de qualquer espécie, como colocado no artigo, seja em relação ao vencedor ou quanto ao segundo colocado, este também merecedor da expressiva votação, por ostentar, com dignidade, os predicados já referidos.

Fernando quem?? O jornalista do consultor não ...

EDUARDO PEREIRA (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

Fernando quem?? O jornalista do consultor não leu bem o resultado da eleição no TJ. Os candidatos todos se embolaram. À frente, sobranceiro, destacou-se só o Des. Luiz Carlos Ribeiro dos Santos, com 14 folgados votos mais que o segundo. As louas do seu comentário, surpreendentemente, foram para o segundo colocado e a vitória tão expressiva foi tratada com estranho desdém. O que houve?

Comentários encerrados em 24/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.