Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sem acordo

Nilmar quer indenização por danos morais do Corinthians

Terminou sem acordo a audiência feita nesta segunda-feira (7/5), na 81ª Vara do Trabalho de São Paulo, entre o jogador Nilmar e o Corinthians. O jogador não quer mais ficar no clube, que por sua vez recorreu à Justiça alegando que o atleta assinou contrato até o final de 2007.

Em dezembro de 2006, a juíza Maria Cristina Fisch concedeu, a pedido do clube, liminar assegurando a permanência do jogador no Corinthians até 28 de dezembro de 2007. Em fevereiro desse ano, atleta e clube se reencontraram na 81ª Vara, mas também não chegaram a um acordo.

Desta vez, Nilmar Honorato da Silva, além da defesa escrita, apresentou reconvenção, pleiteando a rescisão indireta de seu contrato com o clube, além de indenização por danos morais, segundo informa a Agência Estado.

A pedido do atleta, o juiz Marco Antonio dos Santos, que presidiu a audiência, determinou a inclusão da MSI Group e MSI Licenciamento Administração Ltda. como reclamados, ao lado do Corinthians. Nilmar e os representantes do clube e da MSI terão nova audiência no próximo dia 26 de junho, às 10h.

Revista Consultor Jurídico, 7 de maio de 2007, 22h37

Comentários de leitores

2 comentários

Só por jogar ou ser treinador naquele "catado...

Richard Smith (Consultor)

Só por jogar ou ser treinador naquele "catado" de manés, já expõe o atleta a danos morais, irreversíveis até.

Sou são paulino, mas presto minhas condolências...

Luke Kage (Advogado Sócio de Escritório)

Sou são paulino, mas presto minhas condolências aos torcedores do coringão, que por absoluta incompetência (improbidade não é tudo, pois o São Paulo, à época do Telê, teve problemas desta natureza e mesmo assim foi campeão e inúmeras vezes, assim como o Palmeiras nos tempos da Parmalat)de seus dirigentes, foi reduzido a pó, mesmo tendo a segunda (ou até primeira) maior torcida do Brasil.

Comentários encerrados em 15/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.