Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Guerra de gabinete

Acionista quer afastar do cargo presidente da Caninha 51

A Justiça paulista vai decidir se o ex-presidente da Parmalat, Ricardo Gonçalves, pode continuar à frente da Companhia Müller de Bebidas, fabricante da tradicional cachaça 51. Sua posição de dirigente está sendo contestada por Luiz Augusto Müller, detentor de 40% das ações da companhia. A 3ª Câmara de Direito Privado se reúne nesta terça-feira (31/7).

Ricardo Gonçalves foi indicado pelo irmão de Luiz, Benedito Augusto Müller. Ele tem outros 40% das ações da companhia. Os 20% restantes pertencem ao espólio.

Ele foi afastado da direção da Parmalat por decisão da Justiça , sob acusação de má-gestão e suspeita de fraude, inclusive com determinação de quebra de sigilo bancário e fiscal do executivo e proibição de sair do país. Por isso, o acionista Luiz Augusto Müller argumenta que ele não está apto a dirigir outra companhia, com base na Lei das Sociedades Anônimas.

Müller, defendido pelo escritório Teixeira, Martins & Advogados, argumenta que o procedimento arbitral que desencadeou a nomeação de Gonçalves foi irregular, como reconhecido pela própria Câmara de Arbitragem. Além disso, sustenta que o executivo teria assinado o livro de posse declarando uma inexistente "orientação" do Poder Judiciário.

Segundo o acionista, o diretor da companhia só quer tirar proveito próprio da sua posição. Já comprou um carro importado blindado e aumentou o seu salário. O acionista conta, na ação, que Roberto d'Utra Vaz, um dos sócios da empresa de consultoria Aggrego, orquestrou a nomeação de Gonçalves no Conselho de Administração da companhia e contribuiu para os benefícios pessoais que o executivo está obtendo da companhia.

Vaz prestou assessoria para Ricardo Gonçalves quando este era o principal executivo da Parmalat.

A 2ª Vara da Justiça de Pirassununga (SP) decidiu negar a antecipação de tutela requerida por Luiz Müller. No recurso, que será julgado nesta terça-feira (31/7), ele quer afastar desde logo Ricardo Gonçalves da presidência da empresa.

Revista Consultor Jurídico, 30 de julho de 2007, 19h35

Comentários de leitores

1 comentário

O CIDADÃO TEM UMA VASTA FOLHA CORRIDA!!VIVEMOS ...

gilberto prado (Consultor)

O CIDADÃO TEM UMA VASTA FOLHA CORRIDA!!VIVEMOS A INVERSÃO DE VALORES, QUANTO MAIOR FOR GRAU DE QUADRILHEIRO, MELHOR É A POSIÇÃO QUE SE OCPUA.

Comentários encerrados em 07/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.