Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Morte do coronel

Acusada de matar coronel Ubiratan será interrogada na segunda

A advogada Carla Cepollina, acusada de matar o coronel Ubiratan Guimarães, será interrogada na segunda-feira (5/2) no Fórum Criminal da Barra Funda, na capital paulista. O coronel foi assassinado no dia 10 de setembro de 2006, em seu apartamento nos Jardins, bairro nobre de São Paulo. A informação é da Agência Estado.

Cepollina responde a processo por homicídio duplamente qualificado, com motivo torpe e impossibilidade de defesa da vítima. De acordo com o Ministério Público, o assassinato teria sido praticado por vingança porque a advogada percebeu que seu relacionamento com o ex-deputado Ubiratan Guimarães estava em decadência.

O crime

Comandante da operação conhecida como massacre do Carandiru, que resultou na morte de 111 presos em 1992, Ubiratan foi baleado em seu apartamento, nos Jardins (zona oeste de São Paulo). O corpo foi encontrado enrolado em uma toalha. Segundo a Polícia, o coronel foi morto com um tiro de uma de suas armas — um revólver calibre 38 que não foi encontrado no local do crime. Ubiratan era deputado estadual e candidato à reeleição.

Revista Consultor Jurídico, 2 de fevereiro de 2007, 12h57

Comentários de leitores

1 comentário

A advogada Carla Cepollina prestou lon...

tyba (Advogado Autônomo - Empresarial)

A advogada Carla Cepollina prestou longo depoimento à Polícia e nada declarou que a comprometesse. Nem teria entrado em contradição. Quem disse isso, na época, foi uma leitora da Conjur. Portanto, não creio no aparecimento de revelações bombásticas durante a audiência. Há pessoas apostando na inocência dela. Outras a consideram culpada. Mas, mesmo esses, a vêem como bem instruída e capaz de se safar da condenação. Segunda-feira está aí. Vamos ver se algo esclarecedor acontece. A Polícia e o Ministério Público não têm outros suspeitos.

Comentários encerrados em 10/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.