Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Comunicação sem retorno

UOL é processado por falha na prestação de serviços

A falha na prestação de serviços pode custar ao provedor UOL o pagamento de indenização por danos morais. Isso porque o advogado André Henri Aron ajuizou ação contra o provedor após tentar resolver, sem sucesso, o seu problema junto à empresa. A ação tramita no Juizado Especial Cível do Fórum Central de São Paulo.

O advogado, que também é assessor de imprensa, argumentou que ficou impossibilitado de acessar os seus e-mails, inclusive os profissionais, por conta de um problema técnico da empresa. No pedido, ele alegou que utiliza os serviços do UOL há muitos anos e esta é a sua principal ferramenta de trabalho.

Ele ressaltou na ação que a matéria-prima do assessor é a notícia, a informação nova e objetiva e que esta deve chegar com agilidade aos meios de comunicação. Caso contrário, é considerada ultrapassada.

Assim, para tentar resolver o problema, ele entrou em contato com o serviço de assistência técnica da empresa. Não conseguiu resolver o assunto. A central de atendimento alegou que o problema era com a empresa de telefonia, que fornece o serviço de banda larga.

A empresa de telefonia encaminhou um técnico à sua residência e nenhum problema foi constatado, já que a falha era do provedor, segundo ele. Diante da informação, o autor ligou várias vezes ao UOL que, segundo ele, foi negligente no atendimento. O assessor de imprensa disse que foi ridicularizado e humilhado pelos atendentes.

Por isso, recorreu à Justiça. Fundamentou o seu pedido no artigo 273 do Código de Processo Civil e nos artigos 6º, 7º, 8º, 14 e 34 da Lei 8.078/1990 dos direitos do consumidor. Ele pediu 40 salários mínimos por danos morais.

Revista Consultor Jurídico, 25 de agosto de 2007, 0h00

Comentários de leitores

5 comentários

Acho lamentavel que o provedor UOL aja dessa ma...

gregoripavan (Outros)

Acho lamentavel que o provedor UOL aja dessa maneira. Infelizmente tenho sentido na pele isso, sou cliente tambem a muito tempo e ja alguns meses vinha tendo problemas com o provedor, e eu tenho um blog, e comecei a relatar os problemas nesse blog. Entao ele primeiro cancelaram minha conta, ai depois eu fiz ativar novamente. Depois deletaram/apagaram meu blog sem que eu solicitasse ou mesmo fosse avisado. E recentemente propositalmente mudaram as caracteristicas da minha conta o que fez com que eu passasse um dia inteiro sem conseguir me conectar. Tirando logico as reclamaçoes de atendimento! Relatei tudo no meu novo blog http://gregoripavan.blogspot.com. Gregori Pavan

As empresas só deixarão de pisar no consumidor ...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

As empresas só deixarão de pisar no consumidor quando 80% dos lesados proporem ações no Judiciário e, em caso de infringência as normas legais, as empresas sejam condenadas em valores elevados. Do contrário, se for para algum juiz ficar naquelas condenações pífias de 1.000, 2.000 reais, é melhor julgar improcedente. Mesmo que seja 14 mil a condenação, com o tempo as empresas vão começar a rever sua atitudes. Agora, a ação fica nos juizados em SP 2 anos para ao final o lesado receber uma miséria. Deste jeito nada mudará. Se estes juízes querem fazer JUSTIÇA e não ter pilhas de processos com a mesma causa de pedir em sua mesa, que mudem suas sentenças. Carlos Rodrigues Pos-Graduado em Direito do Consumidor berodriguess@yahoo.com.br

Lei 8.137, de 27/12/90. Define os crimes con...

Paulo (Outros - Civil)

Lei 8.137, de 27/12/90. Define os crimes contra a ordem tributária, econômica e contra as relações de consumo. Art. 7° Constitui crime contra as relações de consumo: ... VII - induzir o consumidor ou usuário a erro, por via de indicação ou afirmação falsa ou enganosa sobre a natureza, qualidade do bem ou serviço, utilizando-se de qualquer meio, inclusive a veiculação ou divulgação publicitária; Dr. Ramiro, agradeço.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/09/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.