Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Músculo sem suor

Anvisa proíbe venda de aparelhos de ginástica passiva

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária pode suspender a comercialização de aparelhos sem registro. O entendimento é da 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Conforme o artigo 6º da Lei 9.782, que criou o órgão, a finalidade institucional da agência é manter o controle da produção e comercialização de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária.

A Anvisa determinou a imediata suspensão da venda e da publicidade de equipamentos de ginástica passiva, os chamados aparelhos ativos eletroestimuladores musculares. Sob pena de multa, as empresas não poderão comercializar, importar ou produzir esse aparelhos.

Segundo a agência reguladora, após ter recebido várias denúncias de órgãos competentes sobre os potenciais danos à saúde, o aparelho foi enquadrado na classe de risco II. Assim, o produto precisa de dados adicionais para obter o registro junto à agência.

A distribuidora do aparelho alegou que a importação foi aprovada pelo Ministério da Saúde. Argumentou, ainda, que não está comprovado o risco à saúde dos consumidores para que seja proibida a comercialização do produto.

Para o desembargador federal, Antônio Souza Prudente, apesar de a empresa ter o registro junto à Anvisa para comercialização, não o apresentou, especificamente, em relação ao produto em questão.

Apelação em Mandado de Segurança 2002.34.028665-6

Revista Consultor Jurídico, 30 de abril de 2007, 0h00

Comentários de leitores

2 comentários

Este país é uma piada e a Anvisa uma piada de m...

Luiz Fernando (Estudante de Direito)

Este país é uma piada e a Anvisa uma piada de mau gosto: vamos admitir que Essa-Lentíssima Anvisa tenha razão quanto aos riscos à saúde. Só que levou anos para deixar isso claro, quando já foram vendidos milhões de aparelhos e, se for o caso, esses milhões de compradores já devem estar todos hospitalizados ou mortos. Há jogadores de vôlei/basquete que ficaram ricos anunciando essas coisas e a Dra. Anvisa se atrapalhando na papelada, tropeçando nos próprios cadarços. Viva a burocracia brasileira...

"não está comprovado o risco à saúde dos consum...

Band (Médico)

"não está comprovado o risco à saúde dos consumidores para que seja proibida a comercialização do produto." Ou seja, o poder público é que deve provar que é uma "m..." o produto e não o espertalhão de que a sua birosca serve para alguma coisa além de enganar o consumidor! Este é o país dos sonhos dos charlatões, curandeiros e embusteiros de todo o tipo!

Comentários encerrados em 08/05/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.