Consultor Jurídico

Bom senso

O uso de algemas deve ser incentivado e não reprimido

Por 

________________. Uso de algemas e constrangimento ilegal. Última Instância - Revista Jurídica, 10 out. 2004. Disponível em: http://ultimainstancia.uol.com.br/colunas/ler_noticia.php?idNoticia=32271. Acesso em: 10 out. 2006.

GUIMARÃES CARNEIRO, José Reinaldo e CARNEIRO GOMES, Rodrigo. Algemas e preconceito de classes. Correio Braziliense, Suplemento semanal “Direito& Justiça”, Brasília, nº. 15548, 12/12/2005, p. 2.

MALTA, Frederico Sérgio Lacerda. Aspectos Legais do Emprego de Algemas por parte dos Policiais Militares. Revista Doutrinal nº. 01/2000 da PMPE. Revista de Direito, edição nº. 02 de setembro de 2000, da Associação dos Procuradores do Estado de Pernambuco. Recife, 2000.

MEDEIROS, Aristides. Algemas ainda não podem ser usadas. Jus Navigandi, Teresina, ano 10, n. 1079, 15 jun. 2006. Disponível em: Consultor Jurídico. Acesso em: 06 out. 2006.

MOREIRA, Rômulo de Andrade. Direito preservado. O uso de algemas deve ser restrito a casos excepcionais. Revista Consultor Jurídico, 29.01.2006. Disponível em Consultor Jurídico. Acesso em: 06 out. 2006.

O Estado de S.Paulo Triste tradição. Abuso no uso de algemas não traz efeito pedagógico. Editorial de 25/07/2005. In Revista Consultor Jurídico, 25 de julho de 2005. Disponível em: Consultor Jurídico. Acesso em: 06 out. 2006.

PINTO, Ronaldo Batista. Da possibilidade de ser o réu mantido algemado durante o plenário do júri. Ministério Público do Estado de SP Disponível em: Ministério Público. Acesso em: 06 out. 2006.

PITOMBO, Sergio Marcos de Moraes. Emprego de algemas: notas em prol de sua regulamentação. Revista da Associação dos Magistrados do Paraná, Curitiba, v.36, p.19-61, jul./dez., 1984. RT, São Paulo, v. 592, p. 275-292, fev., 1985. Disponível em:. Acesso em: http://www.processocriminalpslf.com.br/algemas.htm e http://www.sergio.pitombo.nom.br/files/word/algemas_1.doc.

06 out. 2006.

TONINI, Wagner Adilson. Breve estudo sobre a averiguação e sua legalidade. Jus Navigandi, Teresina, ano 9, n. 719, 24 jun. 2005. Disponível em: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=6924. Acesso em: 06 out. 2006.

VIEIRA, Luiz Guilherme. Algemas: Uso e abuso. Revista Síntese de Direito Penal e Processual Penal nº. 16 - OUT-NOV/2002, pág. 11.

XAVIER, Marina Corrêa Dignidade presa com algemas. Universidade de Brasília. Disponível em: UNB. Acesso em: 06 out. 2006.

ZACCARIOTTO, José Pedro. A polícia judiciária e suas reais dimensões no Estado Democrático de Direito. Jus Navigandi, Teresina, ano 10, n. 1099, 5 jul. 2006. Disponível em: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=8604. Acesso em: 06 out. 2006.




Topo da página

 é delegado da Polícia Federal, pós-graduado em Processo Civil, Segurança Pública e Defesa Social. Foi chefe do serviço de apoio disciplinar da Corregedoria-Geral e ex-assessor de ministro do STJ. É professor da Academia Nacional de Polícia, lotado na Diretoria de Combate ao Crime Organizado, e autor do livro O Crime Organizado na visão da Convenção de Palermo, Ed. Del Rey

Revista Consultor Jurídico, 14 de outubro de 2006, 15h01

Comentários de leitores

38 comentários

excelente artigo.irrepreensivel.pena que o imbe...

acs (Advogado Assalariado)

excelente artigo.irrepreensivel.pena que o imbecil coletivo brasileiro ainda ache que o uso de algemas configura abuso de autoridade.

Não há o que desculpar, Dr. Vieira. Da mesma fo...

Alberto Afonso Landa Camargo (Oficial da Polícia Militar)

Não há o que desculpar, Dr. Vieira. Da mesma forma, peço-lhe perdão por algum eventual exagero da minha parte.

Caros Alberto e Milton, Vcs tocaram no ponto p...

www.professormanuel.blogspot.com (Bacharel)

Caros Alberto e Milton, Vcs tocaram no ponto principal. E o pior é que muitos estados e a própria PF estabeleceram uma espécie de apresentação à imprensa dos presos. Aqui, existe até uma chamada delegacia de passagem, só para isto. Tudo na onda dos programas tipo "caso de polícia" e congêneres...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/10/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.