Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Suspense no ar

Credores recusam oferta da VarigLog pela Varig

Por 

Os credores da Varig rejeitaram nesta segunda-feira (17/7) a proposta de compra apresentada pela VarigLog, na assembléia realizada no Rio de Janeiro. Com a decisão, o leilão marcado para quarta-feira (19/7) foi suspenso.

A Justiça analisará agora alternativas para a companhia aérea e só se manifestará após receber comunicação oficial da decisão. Quando a comunicação chegar, ouvirá o Ministério Público e a administradora judicial, a Deloite Consultores.

Os juízes que tratam da questão evitaram a todo custo se pronunciar nesta segunda-feira, após a proclamação do resultado. A juíza Márcia Cunha comentou com um amigo no Tribunal de Justiça que tinha mais de uma centena de chamadas não respondidas em seu celular. O presidente da VArig, Marcelo Bottini acusou a GE Capital, um dos credores estrangeriso da empresa, de manobrar para a rejeição da proposta da VarigLog e disse que irá à Justiça tentar reverter a decisão da assembléia.

Numa surpreendente decisão, apenas os credores da classe 1, formada pelos trabalhadores, aprovaram a oferta. Os da classe 2 (que reúne fundos de pensão e o Banco do Brasil) e da classe 3 (constituído por empresas públicas e de leasing) rejeitaram a proposta.

A Embraer e as estatais Infraero e Petrobras, os maiores credores da Varig, aprovaram a proposta. A mutinacional Shell, na contramão das estrangeiras, deu quatro votos a favor da proposta, referentes às divisões com as quais a Varig acumula dívidas.

 é jornalista.

Revista Consultor Jurídico, 17 de julho de 2006, 20h40

Comentários de leitores

1 comentário

Continuo não entendendo a insistência do Juiz e...

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Continuo não entendendo a insistência do Juiz em salvar a Varig em detrimento de seus credores. Até parece que os credores são os culpados pela falência da Varig. A Varig é o "mocinho" e os Credores, "bandidos". Os Credores que se ferrem, na linguagem bem chula. A Varig sai de mansinho, na mão de terceiros, que não sabemos se tem cacife para aguentar o tranco.O negócio de Varig nova e Varig Velha é golpe. Se isto acontecer os credores vão ficar a "ver navios". Empresa de transportes aéreos não é loginha de esquina!!! Demanda alto investimento e altissimo capital de giro. Já comentei o caso Varig por diversas vezes neste espaço e continuo afirmando que a fraquesa dos Juizes que comandam o caso está levando esta novela muito longe, em prejuizo dos Credores. A falência deve ser decretada, imediatamente, inclusive em benefício dos trabalhadores da Varig, credores previlegiados.

Comentários encerrados em 25/07/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.