Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Alta programada

Justiça suspende fixação de data pelo INSS para fim de benefício

O INSS — Instituto Nacional de Seguridade Social está obrigado a suspender o programa ‘Alta Programada’ no estado de Minas Gerais. A decisão é da 10ª Vara Federal em Belo Horizonte. Cabe recurso.

A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal mineiro contra o regulamento interno que fixa a data certa para o fim do pagamento do benefício de auxílio-doença.

A chamada ‘Alta Programada’ funciona da seguinte maneira: depois do exame inicial para verificar as condições da concessão do benefício, o perito do INSS fixa previamente a data a partir da qual o pagamento deve ser interrompido. O problema é que, em muitos casos, na data marcada, o segurado continua incapacitado, segundo o MPF.

O MPF sustentou que o regulamento viola vários dispositivos legais, em especial a Lei 8.213/91 (a Lei de Benefícios da Previdência Social). De acordo com o MPF, a regra estabelece que o auxílio-doença será devido enquanto o segurado permanecer incapaz. Para o procurador da República Felipe Peixoto, “afigura-se manifestamente ilegal o ato da autarquia previdenciária por cujo intermédio resta cancelado o pagamento do benefício, sem que o segurado seja submetido a perícia médica que demonstre a sua completa recuperação”.

A 10ª Vara Federal em Belo Horizonte acolheu o argumento. Para a primeira instância, “cabe ao INSS o ônus de comprovar a recuperação da capacidade para o trabalho do beneficiário. Em outras palavras, a cessação da incapacidade não pode ser presumida pelo mero decurso de um prazo predeterminado”.

Se a ordem for descumprida, o INSS fica sujeito à multa diária no valor de R$ 300 para cada benefício suspenso.

Processo 2006.38.00.019240-3

Revista Consultor Jurídico, 9 de julho de 2006, 7h00

Comentários de leitores

2 comentários

A ALTA MÉDICA PRÉDATADA É AÉTICA,IMORAL E DESON...

durval (Médico)

A ALTA MÉDICA PRÉDATADA É AÉTICA,IMORAL E DESONESTA.O NÃO PAGAMENTO DO BENEFÍCIO ANTES DO VENCIMENTO DA LICENÇA MÉDICA É APROPIAÇÃO INDÉBITA. NEM NA DITADURA ISTO OCORREU..

MAS QUEM DISSE QUE O INSS CUMPRE DECISÃO DE MPF...

Pirim (Outros)

MAS QUEM DISSE QUE O INSS CUMPRE DECISÃO DE MPF/MPE (?) O INSS MUITA DAS VEZES DEIXA DE CUMPRIR ATÉ UM TITULO JUDICIAL DO STJ !!!!!

Comentários encerrados em 17/07/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.