Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

E a gente?

OAB cearense critica repasse do estado para carnaval carioca

A seccional cearense da OAB reclamou ao Ministério Público estadual o repasse de R$ 500 mil em recursos da Secretaria de Cultura do estado para apoiar o enredo da escola de samba carioca Mangueira. Em seu próximo desfile, a escola irá abordar a transposição das águas do rio São Francisco.

Para o presidente da OAB do Ceará, Hélio Leitão, o repasse é um absurdo. Ele aguarda o anúncio de medidas imediatas por parte do Ministério Público. “Espero que medidas urgentes sejam tomadas para coibir essa prática”, disse.

Hélio Leitão criticou o fato de os recursos da Secretaria de Cultura, que são verba pública, terem sido utilizados para esse tipo de investimento. Conforme lembrou o presidente da seccional, o carnaval do Ceará sofre à míngua devido à freqüente falta de recursos financeiros para as escolas e eventos locais. “Nosso carnaval vive a pão e água, o que por si só já justificaria o absurdo do repasse desses R$ 500 mil para uma escola de samba de outro estado, como a Mangueira”, afirmou Hélio Leitão.

Segundo a assessoria de imprensa da OAB, a justificativa da Secretaria de Cultura do Ceará para a liberação dos recursos à Mangueira é a de que a divulgação do tema pelo carnaval carioca ajudaria na bandeira que o Ceará vem empunhando em prol da transposição das águas do “Velho Chico”.

O próprio Hélio Leitão é um dos defensores do projeto de transposição das águas do São Francisco. Ele entende que essa seria uma boa forma de saldar uma dívida social histórica do governo para com o povo nordestino, mas considerou um absurdo o repasse feito pela secretaria estadual à Mangueira.

Revista Consultor Jurídico, 1 de fevereiro de 2006, 20h28

Comentários de leitores

2 comentários

Num País em que seus dirigentes pensam com os p...

Giovannetti (Advogado Autônomo)

Num País em que seus dirigentes pensam com os pés é assim mesmo. Está cheio de espertos ganhando com isso. Também está cheio de miseráveis perdendo. Enquanto houver o tal de patrocínio à Cultura e ao Esporte, sempre haverá empresários ganhando aquilo que deveria ser destinado ao social. Quem se diz artista, quem se diz atleta, deve arcar com o que está dizendo ser, e viver do resultado da bilheteria dos seus espetáculos, nunca às custas do dinheiro público.

Num País em que seus dirigentes pensam com os p...

Giovannetti (Advogado Autônomo)

Num País em que seus dirigentes pensam com os pés é assim mesmo. Está cheio de espertos ganhando com isso. Também está cheio de miseráveis perdendo. Enquanto houver o tal de patrocínio à Cultura e ao Esporte, sempre haverá empresários ganhando aquilo que deveria ser destinado ao social. Quem se diz artista, quem se diz atleta, deve arcar com o que está dizendo ser, e viver do resultado da bilheteria dos seus espetáculos, nunca às custas do dinheiro público.

Comentários encerrados em 09/02/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.