Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dia de prova

OAB-SP aplicou Exame de Ordem para 17 mil bacharéis

Por 

Bacharéis em Direito fizeram neste domingo (28/8) a primeira fase do terceiro Exame de Ordem deste ano. Com exceção do Rio de Janeiro, a prova foi aplicada em todos os estados e no Distrito Federal. Em São Paulo, mais de 17 mil responderam as 100 questões do 127º exame.

Nesta edição, houve uma série de modificações. A nota de corte aumentou de 46 para 50. Outra novidade no Exame de Ordem é a unificação na data da prova da primeira fase em todo o país. Além disso, com os resultados do exame será elaborado o novo ranking das instituições de ensino jurídico no estado de São Paulo.

Segundo o presidente da seccional paulista da OAB, Luiz Flávio Borges D’Urso, em São Paulo “correu tudo bem”. D´Urso espera que neste exame o percentual de aprovação seja maior. “A expectativa não é só minha, mas de todos os bacharéis. A intenção é que eles ingressem na profissão aptos a atender o pedido de seus clientes”.

A expectativa de D´Urso foi reafirmada pela presidente da Comissão de Exame de Ordem da OAB-SP, Ivete Senise Ferreira. “Este exame foi tranqüilo, com questões de alternativas, sem possibilidade de colar”. Ela explica que o índice de aprovação — pouco mais de 7% — da última prova serviu como alerta para a OAB. “Preparamos debates, aproximamos os bacharéis da entidade. Eles entenderam que não podem ficar nervosos e que só precisam saber 50 das 100 questões aplicadas”.

A conselheira e diretora adjunta da OAB paulista, Tallulah Carvalho, afirmou que conversou com alguns candidatos “e eles disseram que a prova estava fácil”.

De acordo com Ivete Senise, quase 7 mil bacharéis fizeram a prova na capital. Ainda neste domingo, a prova estará disponível no site da OAB paulista. O gabarito será publicado nos próximos dias.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 28 de agosto de 2005, 13h03

Comentários de leitores

6 comentários

Prezados, boa noite Com relação à matéria ac...

Funabashi (Engenheiro)

Prezados, boa noite Com relação à matéria acima, gostaria de fazer um aparte para parabenizar e agradecer a Sra. TALLULAH CARVALHO, Dr. FÁBIO MARCOS BERNARDES TROMBETTI e Dr. URIEL CARLOS ALEIXO, pela forma com que fui tratado juntamente com outros deficientes no 127º Exame da OAB em São Paulo. Só para exemplificar, sou portador de perda auditiva e tenho que utilizar aparelhos em ambos ouvidos, que não podem ser retirados pois aliado à perda de 90% da audição, tenho um problema até de certa forma raro ou seja, termo utilizado pelos Médicos chamado de "tínitus" ou seja zumbido que se agrava ao serem retiradas as próteses que servem justamente para aumentar os sons externos, o que provoca um desconfôrto muito grande pois não consigo me concentrar em uma leitura por exemplo, além de perder qualquer informação dada durante o exame. Recebi todo o apoio no período que antecedeu e durante a prova, e os demais colegas que se encontravam na mesma sala, podendo fazê-la com a tranquilidade que esperava, em sala separada reservada aos deficientes. Aos Doutores e Dra. meus sinceros agradecimentos extensivo à OAB-SP. Quanto à prova da OAB, nos meus 50 anos de idade, tenho convicção de que é um instrumento para avaliar a qualidade de ensino no país, e melhorá-lo e isto com certeza é necessário. A minha sugestão, é que além de fazerem os exames no mesmo dia em todo território nacional, que também fôssem unificadas as questões das provas, ou seja que fôssem iguais a todos os Estados da Federação. Cordialmente, Luiz Antonio Funabashi

Prezados Colegas Bacharéis: Tenham dó. O exame ...

Tércio (Advogado Autônomo - Civil)

Prezados Colegas Bacharéis: Tenham dó. O exame de ordem É NECESSÁRIO, e quanto mais difícil MELHOR. Nós, quando bacharéis, não temos a menor idéia do que vamos enfrentar no curso de nossas vidas profissionais. Temos de cuidar de casos complicadíssimos, que envolvem a vida, a liberdade, os bens e a família da comunidade pela qual nos dispomos a trabalhar. Seria irresponsável por parte da OAB e do Poder Público, colocar profissionais que não têm a capacidade de realizar uma prova e acertar pelo menos metade das questões. Tenham em mente que somente o estudo e o trabalho podem trazer sucesso para a carreira de vocês. Não duvido da capacidade de qualquer um dos bacharéis que aqui escrevem, mas PELO AMOR DE DEUS não venham depor contra o exame, que cumpre sua função há décadas.

Até concordo que tenha uma avaliação para ver c...

Alessandro (Bacharel)

Até concordo que tenha uma avaliação para ver como o estudante está, mas o que ocorre hj é um verdadeiro absurdo. Aumentaram até a nota de corte!! No exame ninguém está disputando vaga para nada, é só para poder começar a trabalhar.E se o futuro advogado não é bom o mercado de trabalho dirá e não uma "provinha". Acho que tudo isso é para não faltar alunos no cursinho preparatórios!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 05/09/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.