Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Votação simbólica

Câmara dos Deputados mantém salário mínimo em R$ 300

A Câmara dos Deputados barrou, em votação simbólica, a emenda aprovada no Senado que aumentava o salário mínimo para R$ 384,24. O Plenário da Casa manteve o mínimo em R$ 300, valor que está em vigor desde 1º de maio e foi instituído pela Medida Provisória 248/05.

Segundo a Agência Câmara, a votação foi rápida e gerou protestos da oposição, que queria votação nominal da matéria. O deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), líder do governo, explicou os motivos que levaram a sua bancada a barrar o aumento do salário. “Foi uma decisão difícil de ser tomada, mas necessária”, disse.

Segundo ele, o valor aprovado, de R$ 300, não traz problemas para o caixa da maioria dos municípios e para a Previdência Social. "O salário mínimo proposto pelo nosso governo tem poder para comprar duas cestas básicas. No governo anterior, o valor não alcançava uma cesta e meia", comparou.

Revista Consultor Jurídico, 17 de agosto de 2005, 19h15

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 25/08/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.