Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Temporada de caça

Polícia Federal deflagra Operação Midas em seis estados

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (10/11), a Operação Midas. A força-tarefa investiga um grupo acusado de facilitar a liberação indevida de Certidões Negativas de Débito (CND) para empresas devedoras da Previdência Social, além de fazer advocacia administrativa. As CNDs eram utilizadas pelas empresas devedoras do INSS para participação em licitações e para a obtenção de financiamentos junto a entidades governamentais.

A operação acontece em seis estados: Mato Grosso, São Paulo, Goiás, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Auditores do INSS e policiais federais estão cumprindo os mandados de prisão temporária e de busca apreensão.

Segundo o Ministério da Previdência Social, o grupo é composto por empresários, advogados e intermediários e contava com a participação do procurador-chefe da Procuradoria Federal Especializada do INSS em Mato Grosso.

A equipe da força-tarefa Previdenciária de Mato Grosso está fazendo busca e apreensão em 20 localidades. Há 45 policiais federais do Rio de Janeiro para cumprir 13 mandados de prisão temporária em Cuiabá.

A força-tarefa Previdenciária de Mato Grosso é composta por membros do Ministério da Previdência Social, Polícia Federal e Ministério Público Federal.

Prisão

De acordo com a Agência Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais), o procurador do INSS Álvaro Marçal Mendonça foi preso. O procurador tinha contra ele um mandado de prisão preventiva expedida pela Justiça Federal do Mato Grosso.

Informações preliminares obtidas pela delegacia de Itajaí dão conta que Álvaro chefiava uma quadrilha que beneficiava empresas devedoras dos cofres públicos, envolvendo-se assim em um grande esquema de corrupção e lavagem de dinheiro.

Álvaro Mendonça foi preso em seu apartamento no Bairro de Mariscal, em Bombinhas, Santa Catarina, e foi às 9h30 para Cuiabá, Mato Grosso, onde será ouvido sobre os crimes que lhe são imputados.

Revista Consultor Jurídico, 10 de novembro de 2004, 11h57

Comentários de leitores

15 comentários

Sunda, meu comandante! O Senhor, com todos as ...

Jose George ()

Sunda, meu comandante! O Senhor, com todos as suas estratégias eletrônicas, com sites e servidores no exterior e com fugas espetaculares dos seus implacáveis perseguidores (como costuma afirmar um de seus algozes-mor aqui no conjur) não poderia me auxiliar a encontrar um bom cirurgião para a próxima Operação da Polícia Federal e o do Ministério Público Federal? Estou pensando em batizá-la Operação Conjunta Cerebral e Espiritual. Explico: É que pretendo retirar os espíritos de clint eastwood, james bond, do Dr. Watson e do porco do bojo destas operações. Se não for possível, pelo menos proibir a cúpula da MPF e PF de assistir filmes de mocinho e bandido na TV. Quanto à Operação Cerebral, pretendo retirar o vácuo de algumas cabeças e colocar alguns exemplares da Consituição Federal e dos Código Penal e de Processo Penal lá dentro. Mas tenho medo de uma rejeição e de uma septicimia generalizada. E estou com uma dúvida sobre a expressão: Operação é alguma contração gramatical de "Ópera"?

Não serão estes,nem tampouco os de ontem da PRF...

Arthur ()

Não serão estes,nem tampouco os de ontem da PRF no RJ,nem as Georginas,Belos e Nicolaus que promovem "bondes" "falsas Blitzes" e "arrastões". Tudo propaganda deste governo comunista de PT e MST,para enganar o povo mostrando que prende pessoas de maior poder aquisitivo.Tudo bem!! Mas antes tem que prender( e é mais fácil) os que nos assaltam nas esquinas,nos matam com balas perdidas,nos impedem de ir a praia nos domingos,não nos deixam trafegar pela Z Norte do Rio.Poderiam prender!! mas não prendem!! não dá IBOPE.Tenho certeza que jamais um Belo,um Silveirinha,um Nicolau,uma Georgina,Um Maluf irão nos assaltar ou estuprar nossas mulheres..... Porque não prenderam o principal assecla do Waldomiro(morava até junto com ele) e do Carlinhos Cachoeira ?!......

Como os amigos já disseram tudo e um pouco mais...

Augusto César ()

Como os amigos já disseram tudo e um pouco mais eu gostaria de saber porque a policia , batiza essas operações com nomes tão lindos, parece brinquedo de criança(denota-se o amadorismo em nosso país)e se não poderia dar uma pisa de rabo de tatú nessa cambada de safados, tudo bem que serão soltos, mas com a carne bem macia................................Pau nelesssssssssssss

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/11/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.