Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

'Vovô dedutível'

Contribuinte que acolher idoso pode 'deduzí-lo' no imposto de renda

Quem acolher um idoso em risco social, que vive em condições de total precariedade e possui dependência econômica, poderá 'deduzí-lo' do Imposto de Renda. A permissão está na Lei nº 10.741/2003, do Estatuto do Idoso.

Segundo o consultor Lázaro Rosa da Silva, da IOB Thomson, "essa medida é um complemento às leis sociais e isso faz com que governo e sociedade tenham interesse de que sejam definidos os índices rapidamente."

Revista Consultor Jurídico, 6 de janeiro de 2004, 16h19

Comentários de leitores

2 comentários

A técnica exegética atribuída à competência da ...

Emil Sppezapria ()

A técnica exegética atribuída à competência da autoridade fazendária ostenta cunho literal apenas, não se permitindo transbordar o respectivo perímetro, ainda que sob o manto da razoabilidade. Assim, mostram-se eficazes, para fins de apuração da base de cálculo tributável, somente as deduções que se coadunem com as relações de dependência taxativamente postuladas pelo art. 35, da Lei 9.250/1995.

Estatuto do Idoso: Art. 36. O acolhimento de i...

Marcondes Witt (Auditor Fiscal)

Estatuto do Idoso: Art. 36. O acolhimento de idosos em situação de risco social, por adulto ou núcleo familiar, caracteriza a dependência econômica, para os efeitos legais. Lei 9.250/1995: Art. 35. Para efeito do disposto nos arts. 4º, inciso III, e 8º, inciso II, alínea "c", poderão ser considerados como dependentes: I - o cônjuge; II - o companheiro ou a companheira, desde que haja vida em comum por mais de cinco anos, ou por período menor se da união resultou filho; III - a filha, o filho, a enteada ou o enteado, até 21 anos, ou de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; IV - o menor pobre, até 21 anos, que o contribuinte crie e eduque e do qual detenha a guarda judicial; V - o irmão, o neto ou o bisneto, sem arrimo dos pais, até 21 anos, desde que o contribuinte detenha a guarda judicial, ou de qualquer idade quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; VI - os pais, os avós ou os bisavós, desde que não aufiram rendimentos, tributáveis ou não, superiores ao limite de isenção mensal; VII - o absolutamente incapaz, do qual o contribuinte seja tutor ou curador. § 1º Os dependentes a que se referem os incisos III e V deste artigo poderão ser assim considerados quando maiores até 24 anos de idade, se ainda estiverem cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau. [...] A lei tributária enumera expressamente as pessoas que podem ser considerados dependentes do contribuinte. A "dependência econômica" está implícita, mas não é o conceito legal adotado para fins de dedutibilidade da base de cálculo do contribuinte. Incide, aí, o artigo 111 do CTN.

Comentários encerrados em 14/01/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.