Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fazendeiro preso

Fazendeiro é preso por reduzir trabalhador a condição de escravo

Altamir Soares da Costa, proprietário da Fazenda Macaúba, a 150 quilômetros de Marabá (PA), foi preso no domingo (15/2), por manter 45 trabalhadores em regime de escravidão em suas terras. Costa foi descoberto pelo Grupo Móvel de Fiscalização, que reúne procuradores do Trabalho, fiscais do Ministério do Trabalho e agentes da Polícia Federal.

Há uma semana, o mesmo fazendeiro foi indiciado por falsificação de autorização para transporte de madeira. Entre os 45 trabalhadores que trabalhavam na preparação de um terreno para pasto, havia dois adolescentes de 14 e 16 anos e uma menina de 11 anos, que trabalhava como babá para a cozinheira do "barracão".

Segundo o procurador do Trabalho, Marcelo Ribeiro, "todos os elementos que caracterizam a redução de trabalhador a condição análoga a de escravo foram detectadas no local". A 10 quilômetros de distância da estrada, numa trilha de mata fechada, eles eram vigiados pelo "gato", que os contratou e também atuava como capataz. O "gato" escapou e levou consigo uma carabina calibre 20.

No local, os agentes da Polícia Federal apreenderam uma espingarda e dois revólveres calibre 32 e 38. Os trabalhadores eram impedidos de deixar o local e deviam o pagamento de compra de mercadorias para o seu sustento no barracão mantido pelo fazendeiro, onde os preços cobrados são superiores aos valores de mercado.

"Isto é o que chamamos de servidão por dívida, pois o trabalhador endividado não pode deixar a fazenda", explica o procurador Marcelo Ribeiro. (MPT)

Revista Consultor Jurídico, 16 de fevereiro de 2004, 16h49

Comentários de leitores

1 comentário

É com tristeza que encaramos este fato e vemos ...

Marcell Ferreira da Silva ()

É com tristeza que encaramos este fato e vemos que apesar de passados anos de se declarado o fim da escravidão ainda existam pessoas humanas vivendo como animais.Atitudes como a deste fazendeiro tem que serem investigadas a fundo e então punir de acordo com a lei.É preciso um maior empenho por parte do Estado brasileiro para para que a nossa jurisdição chegue não apenas nas regiões Sul e Sudeste,mas sim em todo o território brasileiro.

Comentários encerrados em 24/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.