Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

"Elucidação dos fatos"

Geddel é preso três dias após descoberta de malas com R$ 51 milhões

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) foi preso na manhã desta sexta-feira (8/9), em Salvador, três dias após a Polícia Federal encontrar mais de R$ 51 milhões, atribuídos a ele, em um apartamento. Agentes encontraram Geddel no condomínio residencial onde ele cumpria prisão domiciliar desde julho. O ex-ministro deve ser transferido para Brasília.

A ordem de prisão foi assinada pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal e ainda é sigilosa. No pedido, a PF e o Ministério Público Federal argumentaram que a medida era necessária para evitar “a destruição de elementos de provas imprescindíveis à elucidação dos fatos”.

Também há três mandados de busca e apreensão e outro de prisão preventiva. Segundo o MPF, as medidas são necessárias porque Geddel se mostrou uma espécie de serial criminal, ou seja, um criminoso em série, que, diz o órgão, não foi impedido de delinquir nem ao ser determinada sua prisão domiciliar.

Geddel é suspeito de irregularidades na Caixa Econômica Federal quando foi vice-presidente da instituição, até 2013.
Arquivo/Agência Brasil

Segundo a Folha de S.Paulo, também foi preso foi Gustavo Ferraz, ex-assessor de Geddel, que hoje atuava como diretor da Defesa Civil de Salvador.

A investigação apura suposto esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal entre 2011 e 2013 – período em que Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição.

Na terça-feira (5/9), a Polícia Federal apreendeu malas e caixas de dinheiro, em um apartamento em Salvador. O proprietário, Sílvio Silveira, declarou em depoimento que emprestou o imóvel a Geddel, que teria pedido para guardar pertences do pai, morto no ano passado. 

Malas e caixas encontradas pela PF no dia 5/9, atribuídas a Geddel Vieira Lima.
Divulgação/PF

Geddel já havia sido preso no dia 3 de julho por ordem do mesmo juiz. De acordo com a acusação do MPF, o ex-ministro recebeu mais de R$ 20 milhões do financista Lúcio Funaro em troca de intermediar a liberação de empréstimos a empresas do Grupo J&F. 

Dias depois, foi encaminhado para prisão domiciliar, porque o desembargador Ney Bello Filho, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, não viu motivos para a medida. “Ofende o Direito e o vernáculo prender preventivamente alguém por ato pretérito, sem contemporaneidade”, afirmou na ocasião.

Ex-responsável pela Secretaria de Governo da Presidência, Geddel oficialmente pediu para deixar a administração Michel Temer (PMDB) em novembro de 2016, depois que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero disse ter sido pressionado para liberar uma obra no centro histórico de Salvador. Com informações da Agência Brasil.

* Texto atualizado às 10h45 do dia 8/9/2017.

Revista Consultor Jurídico, 8 de setembro de 2017, 9h58

Comentários de leitores

2 comentários

Grana oriunda de uma barraca de acarajés no Pelourinho

hammer eduardo (Consultor)

Este perigosíssimo elemento é antes de tudo um debochado como alias parece ser uma faceta das atuais vertentes da bandidagem que rodeia o porteiro do castelo mal assombrado, vá escolher vagabundo assim pra ser seu amigo la na Transilvânia......
Parabéns a Policia Federal que mais uma vez se mostrou técnica e não saiu "chutando a porta" o que eventualmente atrapalharia a importantíssima coleta de digitais do vagabundo em questão que atende também pelo carinhoso apelido de "suíno".
Lembremos também que aquele "poço de conhecimento jurídico" que assumiu a Justiça chamado de jardim , ensaboado como todos os próximos ao poder , já começa a definir qual vai ser o delegado obediente que vai colocar no lugar de Leandro Daiello que ficou famoso pela sua retidão e competência , algo impensável naquele valhacouto de bandidos de paletó bem cortado. A saída dele infelizmente é pule de dez e agora resta adivinhar quem vai ser o seu substituto devidamente briefado e amansado para poder se ajoelhar perante as ratazanas do PMDB.
Semana que vem também assume a "professora de piano" na PGR e esta bem claro que coisas que afetam os quadrilheiros do PMDB serão engavetadas ou colocadas em banho maria ao menos ate o final dos dias do porteiro em Brasilia, saudades do Brindeiro .
Este é o nosso brasilzão velho de guerra entregue nas patas imundas de quadrilheiros que so se preocupam em meter a mão e se ajudar mutuamente no grande tanque de chorume da politica nacional.
Marcola e Fernandinho Beira Mar são pivetes iniciantes por comparação. Falta agora o "suíno" contar sua historinha de conto de fadas regada a dendê explicando a origem da grana.

Origem e destino da grana

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Quase ninguém tem dúvidas quanto à origem e destino dessa mixaria; todavia a palavra "quadrilha" tem rondado os noticiários constantemente. Quem é mesmo a chefia pulverizada!

Comentários encerrados em 16/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.