Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mais flecha

Janot denuncia Lula, Dilma e ex-ministros ao Supremo por organização criminosa

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou nesta terça-feira (5/9) ao Supremo Tribunal Federal a ex-presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci pelo crime de organização criminosa. Também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o ex-ministro Paulo Bernardo, marido da parlamentar, e os ex-tesoureiros do PT João Vaccari e Edinho Silva.

De acordo com denúncia, Lula, Dilma e ex-ministros formaram uma organização criminosa dento do PT para receber suborno oriundo de contratos superfaturados da Petrobras.
Reprodução

Na denúncia, Janot sustenta que os acusados formaram uma organização criminosa no Partido dos Trabalhadores para receber propina desviada da Petrobras durante as investigações da “lava jato”. "Pelo menos desde meados de 2002 até 12 de maio de 2016, os denunciados, integraram e estruturaram uma organização criminosa com atuação durante o período em que Lula e Dilma Rousseff sucessivamente titularizaram a Presidência da República para cometimento de uma miríade de delitos, em especial contra a administração pública em geral", sustenta Janot.

Em nota, a defesa do ex-presidente Lula classificou a denúncia da PGR como uma ação política e “sem qualquer fundamento”. A defesa de João Vaccari disse que a denúncia é “surpreendente” e “totalmente improcedente”. Segundo o advogado Luiz Flávio Borges D'Urso, Vaccari cumpriu seu papel, como então tesoureiro do PT, de solicitar doações legais destinadas ao partido, as quais sempre foram depositadas na conta bancária partidária, com respectivo recibo e a prestação de contas às autoridades competentes, “tudo dentro da lei e com absoluta transparência”.

O advogado de Guido Mantega, Fábio Tofic, disse que causa estranheza que a PGR resolva oferecer denúncia baseada nas palavras de delatores, sem uma verificação mínima, no mesmo dia em que vem à tona a “desfaçatez dos delatores, pela própria PGR”.

Em nota, o ex-coordenador financeiro da campanha de Dilma em 2014, Edinho Silva, afirma que sempre agiu de forma ética e legal e que não tem dúvidas que todos os fatos serão esclarecidos e que a Justiça vai prevalecer. A assessoria da ex-presidente Dilma Rousseff informou que ainda não tem um posicionamento sobre o assunto.

A defesa de Palocci disse que só vai se manifestar nos autos do processo. A senadora Gleisi Hoffmann declarou que a denúncia busca criminalizar a política e o PT. Com informações da Agência Brasil.

Clique aqui para ler a denúncia. 

* Texto atualizado às 14h do dia 6/9/2017.

Revista Consultor Jurídico, 5 de setembro de 2017, 21h43

Comentários de leitores

4 comentários

A verdade vem à tona

Zelmir Foscarini Faraon (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Nenhuma novidade nessa decisão do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. Desde o primeiro dia, publiquei uma pergunta nas minhas redes sociais. Será Janot melhor ou pior que seu antecessor? A resposta apareceu agora.
Na verdade Janot é mais do mesmo, mas com uma piora acentuada. Foi um Procurador Geral inerte, amorfo, que não tomou nenhuma medida contra a corrupção e os corruptos que se alojaram no Governo.
Viveu de limpar a barra dos tucanos, do Aécio que foi delatado inúmeras vezes, mas voltou para o Senado arrotando inocência.
Não importava o escândalo que cercava o Temer e seus ministros envoltos em falcatruas, somente enxergava o PT e os petistas. Se o PT e os petistas não existissem, ninguém notaria a presença desse cidadão.
Nós não queremos que o PT e os petistas saiam impunes, se forem culpados, o que queremos é que a lei seja igual para todos, ou seja, que for culpado tem que pagar.
Lamentavelmente esse não é o entendimento da PGR, da PF, do Judiciário, STF, com tudo junto, como bem disse o nem um pouco impoluto Jucá.
Assim o Judiciário e seus apêndices judiciários, deixaram claro de forma arrasadora que existem partidos políticos e políticos que jamais serão investigados, processados e/ou condenados. São os juridicamente inimputáveis, não por preencherem os requisitos legais, mas por terem seus interesses defendidos pelos que têm o dever de punir.
Dessa forma o PGR Janot cumpriu seu papel, e, fechou com chave de "ouro" sua missão no cargo.
Nenhum corrupto amigo punido e os inimigos denunciados. Vivemos tempos estranhos, tempos negros, tempos de vergonha.

Mais instabilidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Desnecessário discutir a moralidade dos petistas, bem como o estrago que causaram ao País ao longo de mais de uma década. Entretanto, sabemos que processo judicial trabalha com provas e situações concretas, e não com suposições, notadamente na área penal. Nessa linha, beira ao delírio a ação do Ministério Público Federal, em uma atuação nitidamente midiática procurando dar o que a Nação almeja, muito embora sem os devidos contornos na legalidade. Tal comportamento de um órgão público importante, com é o MPF, apenas gera mais instabilidade institucional, prejudicando gravemente a possibilidade de retomada do crescimento econômico e diminuição do desemprego. Janot e os seus já possuem emprego e vencimentos fixos, podendo no máximo serem aposentados compulsoriamente no caso de prática dos mais odiosos crimes. Já o povo, é outra história.

Empacotando os bambus e as flechas

hammer eduardo (Consultor)

Jogo jogado . Com a proximidade do momento de esvaziar as gavetas e voltar para a vida dita normal, Janot dispara as ultimas flechas enquanto embala o material das gavetas para uma saída melancólica. A "nova" PGR que já fez inclusive a "via sacra" do porteiro do castelo indo ao jaburu fora da agenda e em horário suspeito , já deixa muito claro uma sinalização de que deverá se tornar num "Brindeiro de saias".
Janot apareceu no desgoverno do dilmão em substituição a Roberto Gurgel que causava pânico nas hordas petralhas , saiu do Cargo por decurso de prazo e sumiu na multidão. Janot também começou muuuuuuito devagar principalmente em relação aos petralhas , parecia carro a álcool de primeira geração aquecendo nas manhãs de inverno. Curiosamente apontou sua metralhadora giratória mormente para os bandidos do PMDB que "curiosamente" são inimigos mortais atualmente da petralhada , apenas uma observação é claro.
Na reta final resolve disparar as derradeiras flechas em direção a petralhada que se defende atualmente a duras penas. A cereja do bolo parece que vai ser a trapalhada que vai render frutos discutíveis nas mãos enroladas do Chacrinha do STF , aquele que veio para confundir e não para explicar. A novela da delação premiada num modelo Mega-sena dos quadrilheiros batista sem duvida vai se tornar num dos maiores escândalos em voga no momento, como se tal fosse possível nos dias atuais em que Chicago dos anos 30 era um acampamento de escoteiros por comparação.
A partir da semana que vem veremos realmente se podermos esperar algo de útil a nível nacional da nova PGR que já entra com uma bela corrente amarrada em seu tornozelo. Pobre Brasil.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 13/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.