Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acesso ilegal

Escritórios e casas de advogados de Porto Alegre são alvo de busca e apreensão

Por 

A polícia cumpriu nesta terça-feira (22/8) mandados de busca e apreensão em residências e escritórios de advogados de Porto Alegre, emitidos pela Justiça do Rio Grande do Sul. Os defensores são suspeitos de terem utilizado o login e a senha de um policial civil de Alvorada para terem acesso irrestrito ao Sistema de Consultas Integradas da corporação.

Segundo a investigação, foram consultados irregularmente inúmeros processos, nomes, ocorrências policiais, mandados de prisão e placas de veículos entre os meses de outubro de 2016 e abril de 2017. Além disso, foram acessadas informações sigilosas de promotores de Justiça com atuação no Tribunal do Júri de Alvorada e Porto Alegre, para eventual utilização no Plenário.

Além dos 22 mandados de busca, a Justiça deferiu a remoção do policial do cadastro para acessar o sistema de consultas. Um dos advogados foi conduzido à delegacia por possuir uma arma sem registro.

O presidente da seccional do Rio Grande do Sul, Ricardo Breier, afirma que a entidade está acompanhando os procedimentos. "Por meio de uma comissão, nós sempre acompanhamos os mandados contra escritórios para saber se a execução da ordem está dentro da legalidade. Neste caso, os relatórios que já chegaram mostram que o procedimento está sendo adequado, sem abusos", afirmou em entrevista à ConJurCom informações da Assessoria de Imprensa do MP-RS. 

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 23 de agosto de 2017, 14h51

Comentários de leitores

3 comentários

Para refletir

ponderado (Funcionário público)

Vamos tributar o mercado de drogas em 40% tal como fez Uruguai, e tudo estará resolvido e a vida continua numa boa..

Manchas na classe

JA Advogado (Advogado Autônomo)

É lamentável que uma profissão tão nobre esteja atualmente na mira das polícias por abrigar algumas pessoas (felizmente uma minoria) cuja voracidade por dinheiro os faz transgredir preceitos éticos e morais, sem qualquer escrúpulo. Não me refiro ao caso concreto porque sequer conheço o caso e muito menos os nomes dos advogados envolvidos.

Sem abusos: como assim?

José R (Advogado Autônomo)

Mas a invasão em massa a escritórios de advocacia já não é um abuso?
Essa OAB já não é a mesma...

Comentários encerrados em 31/08/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.