Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Liberdade de expressão

MP arquiva acusação contra Alexandre Frota por apologia ao estupro

Por entender que não houve apologia ao crime de estupro em uma entrevista na qual o ator Alexandre Frota relata ter feito uma mãe de santo desmaiar enquanto fazia sexo com ela, o Ministério Público decidiu arquivar o procedimento aberto contra o ator.

Segundo a denúncia, a apologia teria acontecido durante uma entrevista de Frota ao humorista Rafinha Bastos, no programa Agora É Tarde, exibido pela rede Bandeirantes. A entrevista foi ao ar pela primeira vez em maio de 2014 e foi reprisada em fevereiro de 2015.

Durante o programa, Frota contou que um dia fez sexo com uma mãe de santo durante uma consulta e a fez desmaiar, ao apertar sua nuca. Diante do relato, foi pedido que o ator fosse investigado por uma suposta apologia ao estupro.

Ao analisar o pedido, o Ministério Público classificou a atitude de Frota como reprovável, mas concluiu que não houve apologia ao crime. "Não se vislumbra o dolo de 'fazer apologia', no sentido de elogiar, louvar, enaltecer, exaltar um fato criminoso ou autor de crime. No caso dos autos, Alexandre não teve o ânimo de exaltar a sua conduta (reprovável), mas apenas narrar um episódio de sua vida", diz o documento assinado pelo promotor de Justiça Paulo Sérgio de Castilho.

Para o promotor, admitir essa fato como crime de apologia poderia configurar cerceamento à liberdade de expressão. O promotor comparou o caso à decisão do Supremo Tribunal Federal na ADPF 187, que considerou constitucional as chamadas "marchas da maconha", que para alguns seria uma hipótese de apologia ao crime.

A defesa do ator foi feita pelo advogado Paulo Iasz de Morais. Para ele, a manifestação do Ministério Público "afasta acusação injusta e infundada" contra Frota, e "preserva o princípio constitucional da liberdade de expressão".

Veja o depoimento de Frota que motivou a representação (a partir dos 10 minutos):

*Texto alterado ás 18h31 do dia 31 de outubro de 2016 para correção.

Revista Consultor Jurídico, 30 de outubro de 2016, 10h21

Comentários de leitores

1 comentário

Apenas barulho

MISTURA DE LORDE COM JAGUNÇO (Funcionário público)

Esquerdopata só vive de fazer barulho contra os "inimigos"!!! "Ja nu ilis" vá procurar o que fazer!!!

Comentários encerrados em 07/11/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.