Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Privilégios inaceitáveis

Celso de Mello rebate afirmação de Lula segundo a qual STF estaria acovardado

Por 

Ao início da sessão desta quinta-feira (17/3), o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, rebateu a afirmação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva — exposta em grampos divulgados nesta quarta-feira (16/3) — de que o país tem “uma Suprema Corte totalmente acovardada”. O pensamento, diz o decano do STF, é uma “reação torpe e indigna, típica de mentes autocráticas e arrogantes, que não conseguem disfarçar o temor do império da lei e de juízes livres e independentes”.

Afirmação de Lula foi uma reação torpe e indigna, diz Celso de Mello.
Gervásio Baptista -SCO/STF

A República, afirma Celso de Mello, “além de não admitir privilégios, repudia a outorga de favores especiais e rejeita a concessão de tratamentos diferenciados aos detentores do poder ou a quem quer que seja”.

O ministro deixa seu recado: "Ninguém está acima da autoridade das leis e da Constituição de nosso país, a significar que condutas criminosas perpetradas à sombra do Poder jamais serão toleradas, e os agentes que as houverem praticado".

O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, concordou. Segundo ele, "os constituintes de 1988 atribuíram ao STF a elevada missão de manter a supremacia da Constituição Federal". E finalizou: "Os juízes dessa casa não faltarão aos cidadãos brasileiros".

Clique aqui para ler o pronunciamento de Celso de Mello.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 17 de março de 2016, 14h46

Comentários de leitores

11 comentários

O "veja bem" togado se preocupa com a proximidade da lama.

hammer eduardo (Consultor)

As palavras do eminente Ministro Celso de Mello no dia de ontem tem alto teor explosivo , principalmente se tiverem sido ditas "em nome" daquela importante corte. O problema é que ate as pedras da rua sabiam que mais cedo ou mais tarde , o chorume podre da desgraça petista ia terminar batendo nos tapetes grossos de nosso teoricamente insuspeito STF. O grande " X " da questão é o FATO que 8 dos 11 Ministros foram escolhidos "a dedo" pela quadrilha petralha seguindo metodologias fora do alcance da População. Numa primeira passada de olhos , o único "rebelde" de caretirinha apesar da escolha pelos petralhas e o Ministro Luiz Fux , quanto aos outros...........Aguardemos. O presidente da Corte Suprema do Brasil também esta devendo grandes explicações sobre o motivo que o levou curiosamente a uma reunião fora da agenda e também fora do Brasil com dilmão e seu fiel "porquinho" ( um dos 3) jose Eduardo cardoso , aquele petista BOM BRIL já que tem mil e uma utilidades. Este curioso "encontro fortuito" em Portugal ainda renderia uma bela investigação se alguém de calças assim o desejasse. Depois que literalmente botaram Joaquim Barbosa para correr , tudo é possível na terra do impensável. Hoje o herói nacional da vez é o Juiz Sergio Moro da "Republica de Curitiba" conforme o apedeuta calhorda resolveu batizar , pena que não existam mais "Curitibas" em nosso Pais apodrecido ate a medula pela corrupção. Os petralhas estão sendo empurrados continuadamente na direção do STF e com a abundante cobertura midiática , vai ficar muito bom de se ver quando a chapa for esquentando cada vez mais e as câmeras de TV mostrarem o previsível constrangimento dos "eleitos" julgando seus amiguinhos de estrela na lapela, na cadeira principal então nem se fala.

Equivocado

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O Eminente ministro está equivocado. A culpá é do juiz e da mídia que tornaram pública, em ofensa à lei, conversas privadas. Ainda bem que não xingaram a mãe dele, senão, ele sentiria o que se comenta no mundo das particularidades. O STF não está imune, porque seus membros em maioria não são deveras republicanos. Por exemplo, sobre a recente nomeação da filha de um dos componentes da corte para ser desembargadora no TJ-RJ, et..., etc...

Cleptocrata Ohomem que se considera o mais honesto do Brasil

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

Um ex-presidente da república deveria ser a última pessoa de um país a desrespeitar suas instituições. O mau exemplo desse indivíduo (e dos que com ele se relaciona), se apresenta como um inescrupuloso, estimulador do parasitismo social, da mentira como instrumento de poder, da deseducação, da violência, da ignorância e da exploração da miséria, demonstra e comprova que seu governo foi e é uma verdadeira cleptocracia.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/03/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.