Consultor Jurídico

Artigos

Opinião

Escritório que quer crescer tem que estar presente nas redes sociais

Por 

Nos últimos anos, aumentou o interesse dos escritórios de advocacia pelas mídias sociais. Entretanto, ainda há receio de advogados porque o Provimento 94/2000 e o Código de Ética da OAB deixam bem claro que qualquer serviço relacionado a propaganda e publicidade deve ser feito “com discrição e moderação, para finalidade exclusivamente informativa, vedada a divulgação em conjunto com outra finalidade”. 

Mas nos dias de hoje é possível ficar fora das mídias sociais? A resposta é não. Além disso, as regras mencionadas não vedam esse tipo de exposição.

 Os mais conservadores, acostumados com a mídia impressa (revistas e jornais), geralmente são contra o uso de redes sociais. Consideram-nas perda de tempo. Mas é preciso olhar para o futuro e imaginar o escritório daqui a 10 ou 20 anos lidando com os hoje jovens empreendedores e possíveis clientes. 

Sim, a safra de futuros empreendedores é uma geração antenada e muito conectada, que utiliza as mídias sociais para fazer negócios e encontrar informações de novos parceiros. Então, o jeito é se adequar e colocar essa plataforma como parte da estratégia de se tornar visível para os clientes. 

Ter boa presença nas mídias sociais é fundamental para qualquer negócio ou empreendedor. Elas são muito importantes para promover sua marca ou mesmo ampliar e movimentar sua rede de contatos. Há diversos relatos de escritórios que foram contatados por clientes em potencial via essas redes.

Os grandes escritórios perceberam esse movimento e estão marcando presença. O TozziniFreire Advogados, por exemplo, já tem mais de 16 mil seguidores. A forma de trabalhar é simples. Os advogados aproveitam essa plataforma para disseminar conteúdo em que o escritório foi fonte na imprensa. Outros escritórios também fazem o mesmo e ainda compartilham informações como participações em eventos e prêmios nacionais e internacionais conquistados. 

Estar presente nas mídias sociais facilita as relações entre as empresas e os usuários e, principalmente, quebra barreiras físicas e culturais. Mas não basta estar lá. É preciso saber utilizar essas ferramentas e otimizá-las para seus objetivos.

Uma boa assessoria de imprensa pode ajudá-lo nessa tarefa. A seleção de notícias e a frequência das publicações é algo a se adequar aos objetivos do escritório. Assim como a linguagem a ser adotada, já que cada rede social tem suas regras e limitações.

E onde aparecer e interagir? Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter, Medium, Tumblr, Youbube, Google+ e assim por diante são redes que têm, cada uma, seu perfil e sua demanda de trabalho.  Não faltam plataformas, e cada é uma voltada para um público e para um objetivo. 

Vamos falar das mídias com maior apelo empresarial: LinkedIn, Facebook e, se bem usado, Twitter.

Facebook é conhecido por ser a maior rede social do mundo, com 1,5 bilhão de usuários. É muito usado para compartilhamento de diversas informações e por grandes marcas para fazer campanhas institucionais e de vendas. No artigo "Como o Facebook pode promover seu escritório de advocacia?", Ricardo Orsini dá o caminho das pedras: (http://www.arquivodireito.com.br/facebook-pode-promover-seu-escritorio-de-advocacia/). 

O  Twitter tem quase 290 milhões de usuários no mundo. Somente no Brasil são 41,2 milhões de internautas postando textos, links, imagens e vídeos com até 140 caracteres. Se bem usada, é uma boa plataforma para compartilhamento de conteúdo relevante e direcionamento  de seguidores para o site do escritório.  

LinkedIn é a mídia social queridinha de quem quer fazer networking e manter contato com pessoas relevantes do mercado sem precisar ser oficialmente apresentado. São 400 milhões de usuários, sendo mais de 20 milhões só no Brasil. 

 é jornalista e assessora de imprensa na Original 123 Assessoria de Imprensa.

Revista Consultor Jurídico, 13 de janeiro de 2016, 18h34

Comentários de leitores

3 comentários

Errata e "consertata"

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

.... dos seus representantes e não representados.

A melhor propaganda

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Uma corja de políticos corruptos contratando um mesmo escritório de advocacia. Infalível. A partir daí a banca será lembrada pelo resto da vida; vai faturar muito e ainda será homenageada pelos "malfeitos" á sociedade (que pagará os honorários dos seus representados até com certo prazer e admiração) além de carrear muito dinheiro sujo para o caixa da banca. Nem é preciso ser efetivamente bom. Basta ser lembrado pelos páreas engravatados e por eles ser indicado e contratado. Nesse contexto, e a partir dele, terá início uma jornada nas estrelas onde o céu é o limite. Ninguém melhor do que um político para dar o mesmo dinheiro fácil, roubado, a um escritório de advocacia, em troca muitas vezes apenas de boas amizades nas passarelas ornamentadas com tapete vermelho.

Reflexão da sociedade da informação

Parra (Advogado Associado a Escritório - Civil)

As observações tecidas pela profissional chamam nossa atenção para um novo mercado, o qual tem como influência direta a sociedade da informação.
Muitos advogados ainda resistem ao apelo da tecnologia, o que é ruim para a categoria. No entanto, precisamos tratar as novas tecnologias com cuidado e atenção, pois embora sejam nossas aliadas no aspecto comercial, também podem tornar-se nossas piores inimigas, principalmente quando falamos de segurança jurídica nas ações judiciais. Parabéns pelo texto.

Comentários encerrados em 21/01/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.