Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Advocacia em luto

Morre Antonio Carlos Elizalde Osorio, ex-presidente da OAB-DF

Morreu nessa sexta-feira (22/4) Antonio Carlos Elizalde Osorio, presidente do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil de 1969 a 1971. Ele foi o primeiro advogado a se estabelecer em Brasília, em 1957. Os fundadores da entidade na capital federal decidiram que não haveria a inscrição 001. Em um sorteio, ele ficou então com a de número 007.

Nascido em Quaraí (RS), em 1927, Osório era graduado em Filosofia e em Direito. Era ainda escritor e apaixonado por poesia. Foi filiado à Associação Nacional dos Escritores e ao Sindicato dos Escritores do Distrito Federal, entre tantos outros, sendo premiado pela Academia Brasileira de Letras.

O presidente da seccional do Distrito Federal, Juliano Costa Couto, lamentou a perda do advogado. “A OAB-DF perde um homem que fez história. Primeiro advogado do DF, ex-presidente em momentos difíceis, que foi também diretor do Conselho Federal. Homem de letras, membro da Academia Brasiliense. Grande pai, marido e amigo. Mais uma estrela brilhante no céu”, afirmou.

Ex-presidente da seccional e conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público, Esdras Dantas também manifestou pesar. “Posso testemunhar os relevantíssimos serviços que ele prestou à advocacia e à cidadania brasileira. Como presidente da seccional, como conselheiro federal e como secretário-geral se mostrou um homem extremante vocacionado para liderar os advogados brasileiros. Foi um dos homens mais cultos que conheci na vida profissional”, disse.

O ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal Sepúlveda Pertence também destacou a importância do advogado. "Tenho relevo especial por Antonio Carlos Osório, que chegou bem antes de mim à Brasília. Ele chegou na construção da capital. Tivemos, como advogados, convivência mais cordial. Mesmo nos momentos em que a política de classe me pôs em oposição a Antonio Carlos Osorio, jamais perdi a admiração por sua inteligência, cultura e dignidade pessoal. É por isso que com grande pesar recebo a notícia de seu falecimento." Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB-DF. 

Revista Consultor Jurídico, 23 de abril de 2016, 16h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/05/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.