Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Política de Ordem

D’Urso descarta entrar em chapa para a OAB

Por 

O presidente licenciado da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, Luiz Flávio Borges D’Urso descarta entrar na chapa de Marcos da Costa para voltar à direção da entidade. D’Urso se afastou da presidência da Ordem em junho para concorrer a prefeito de São Paulo pelo PTB. Aliou-se a Celso Russomanno (PRB) como candidato a vice e, durante toda a campanha, figurou como favorito. No dia do pleito, porém, confirmando tendência de queda detectada pelas pesquisas nos últimos dias, a chapa não garantiu vaga no segundo turno.

Na próxima semana, o presidente licenciado da OAB pretende discutir com Marcos da Costa sua volta ao cargo, o que deixaria Costa mais livre para a campanha, mas tiraria dele a insígnia de presidente em exercício da OAB-SP — que o tem levado a diversos eventos.

Nesta semana, porém, D’Urso está envolvido “nas negociações de segundo turno”, como ele diz. Segundo fontes ouvidas pela revista Consultor Jurídico, um possível apoio a José Serra (PSDB) a essa altura da campanha pode render ao PTB um posto na Secretaria de Justiça do governo Alckmin — que seria ocupado por D’Urso.

Candidatos — de oposição — à presidência OAB criticam D’Urso por ter se licenciado da entidade para participar da política partidária. Para o advogado, no entanto, este foi um passo necessário para a própria advocacia. Em carta enviada a advogados um dia antes da votação para prefeito de São Paulo, D’Urso disse acreditar que, “enquanto a advocacia não tiver representantes que a defendam na vida político-partidária, estaremos sempre correndo riscos, tais como o de perder o Exame de Ordem, de ver canceladas nossas prerrogativas, de ver nossas conquistas naufragarem, de assistir à negação dos direitos fundamentais e às angústias daqueles cidadãos que dependem da Justiça, esbarrando em tanta injustiça”.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 9 de outubro de 2012, 13h51

Comentários de leitores

7 comentários

D'Urso está de parabéns. Orgulho para a Advocacia

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

D'Urso vai apoiar Serra e Alckimin. Isto pode ser muito bom para viabilizar a proposta de transferir o Convênio de Assistência Jurídica de vez para a Secretaria de Justiça e acabar com as picuinhas que a Defensoria Pública cria diariamente (por pura inveja eu acho) Ficar em 3o lugar nas eleições para a Prefeitura de São Paulo é uma vitória da Advocacia. Afinal o PTB e o PRB são partidos com fraca militância, e que disputaram com fortes estruturas tucanas, petistas e peemedebistas (PMDB ficou em 4o lugar).
E se D'Urso assumir a SJ do governo estadual ou indicar o Secretário, a Advocacia Paulista sai ganhando e muito. A competência de D'Urso na recuperação da OAB SP desde 2004 foi fantástica. Assumiu a Ordem com dívidas de 40 milhões e saldo negativo em caixa até para pagar salários. Até Toron reconheceu a competência dele. Falta só o Sayeg e a Chiavassa reconhecerem também. Quanto ao Podval não tem jeito. Esse não sabe de nada de gestão, nada sobre a OAB SP e nem onde fica a sede... Muito me admira que ainda tenham votos.

Cego ou Eleitoreiro

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

Precisa ser muito cego ou muito eleitoreiro para não admitir ou negar o fato de que D'Urso foi o melhor Presidente que nossa Seccional teve desde Noé de Azevedo. Não dá pra brigar com números. Basta comparar o que ele fez e o que fizeram os outros. O resto é chororô eleitoreiro.

Já era !

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

A julgar pelo que D'URSO fez em benefício da advocacia, no período elastecido em que permaneceu à frente da OAB, suas 'profecias', em desfavor da classe, agora, depois de derramado o leite de seu prefeito, são meras cantilenas para boi dormir. DR. D'Urso, Tá RUSSO, MANO !

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/10/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.