Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Defesa da advocacia

MDA também sai em defesa de Márcio Thomaz Bastos

O Movimento da Defesa da Advocacia divulgou, nesta segunda-feira (28/5), nota em que cumprimenta o presidente da OAB de São Paulo, Luiz Flávio Borges D'Urso, pelo comunicado intitulado “Em defesa da defesa”, divulgado no último domingo (27/5).

No comunicado, D'Urso rebate as críticas feitas ao ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, por ter o contraventor Carlinhos Cachoeira como cliente. “O fato de o advogado Márcio Thomaz Bastos ter sido Ministro da Justiça, não lhe impede de agora advogar livremente, sem qualquer restrição legal, aliás, o que já ocorre com inúmeros outros colegas que ocuparam postos e cargos de destaque na política nacional”, afirmou.

Já a nota do MDA, assinada por seu presidente, Marcelo Knopfelmacher, destaca que “a incompreensão, por parte do inconsciente coletivo, a respeito da figura do Advogado — que não pode jamais ser confundido com seu cliente - é mácula que precisa ser superada em um verdadeiro Estado Democrático de Direito, sendo de rigor cultivar, no seio da sociedade, a ideia de que sem defesa não há processo; e sem processo não há justiça.”

A atividade de Cachoeira e sua relação com diversos políticos, como o senador Demóstenes Torres, motivou a criação de uma CPMI, instalada há pouco mais de um mês, em 25 de abril.

“Condenações públicas antecipadas somente podem vir ao encontro de interesses de setores da mídia sensacionalista e inconveniente, que atiçam no cidadão comum a vontade de presenciar punição a qualquer custo, sem se aperceber de que a supressão do direito de defesa corrói uma sociedade que pretende ser democrática e é tão grave ou ainda mais, em termos sociais, do que o próprio delito supostamente cometido”, conclui Knopfelmacher.

Revista Consultor Jurídico, 28 de maio de 2012, 14h42

Comentários de leitores

4 comentários

Os 15 membros são a favor ?

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Certamente esse Movimento de Defesa da Advocacia deve estar 'embutido' dentro da própria OAB, com no mínimo uns 15 membros. É coisa de vulto.

Ao papel de quem tem que fiscalizar

adv-SP (Advogado Autônomo)

Que venha a receita federal e fiscalize as contas do cliente. O advogado não tem esse poder, que cabe ao órgão fiscalizador. Ao Judiciário cabe a outra parte.

Negociata é o negócio que não tomamos parte!

Mauro Garcia (Advogado Autônomo)

Deixa o Dr. Thomas receber os 15 milhões(zinhos) dele pela árdua, penoza e heróica defesa do meliante. O fato deste dinheiro todo ter sido havido por atos de corrupção explícita não tem nenhum problema. O Brasileiro não entende nada de "ética" jurídica.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 05/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.