Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Lei polêmica

Lei Geral da Copa é aprovada no Senado Federal

Cada estado-sede da Copa de 2014 decidirá sobre a questão da venda de bebidas alcoólicas em seus estádios. Assim ficou dfinido no texto da Lei Geral da Copa que foi aprovado pela Câmara dos Deputados e ratificado pelo Senado Federal nesta quarta-feira (9/5). O projeto define regras para a realização da Copa do Mundo em 2014 e da Copa das Confederações, em 2013. A proposta, agora, seguirá para sanção ou veto presidencial. As informações são do portal UOL.

A Fifa, entidade que comanda o futebol mundial, tem especial interesse na questão da venda de bebidas, por ter uma cervejaria entre seus patrocinadores oficiais. Mas a liberalização da venda do produto encontra resistência de inúmeros políticos e entidades da sociedade civil.

Na terça-feira (8/5), em uma reunião em que estiveram presentes a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e os senadores líderes da bancada e dos partidos governistas adiantaram que o projeto, após ter sido submetido a uma tramitação de seis meses e incontáveis alterações no texto na Câmara dos Deputados, seria aprovado no Senado Federal sem nenhuma mudança. Se os senadores tivessem alterado o texto vindo da Câmara, o projeto teria que voltar à Câmara antes de seguir para a sanção ou veto da Presidência.

Revista Consultor Jurídico, 9 de maio de 2012, 22h06

Comentários de leitores

3 comentários

Brasil colônia

João pirão (Outro)

Impressionante como se dão as coisas em Brasília.
Como uma empresa de bebidas pode deixar de joelhos a um país do tamanho do Brasil?
Se fosse a modificação das nossas leis para melhorarmos algo dentro da nossa sociedade diriamos que é autoritarismo, ou inconstitucional ou algo mais, mas se trata de uma empresa querendo vender sua garrafinha verde, ai sim, devemos toda reverência.E não digamos que é ditadura do partido "X" ou "Y", que não é, pois essa lei passou pela câmara de deputados e do senado só com um retoque de batom. O buraco é mais embaixo. Se trata de uma ditadura da economia empresarial que não tem nação.
Parece que já todos no Brasil estamos embriagados, doidos para levantar a taça em 2013.

falta chamar os marginais valcke e blatter de "buana"

hammer eduardo (Consultor)

Para quem ainda se dava ao "luxo" de querer pensar diferente , fica declarada daqui para a frente uma MORATORIA em cima de nossas leis , tudo devidamente azeitado pelos bandidos de Brasilia que vendem e entregam ate a propria Mãe se a quantia for conveniente.
É a desmoralização de nossas Leis que por sinal só em casos especiais são mesmo cumpridas.
As ratazanas petralhas continuam firmes em seu proposito cleptocrata de desmonte do minimo de moral ainda reinante no Pais. Por muito menos do que o quadro de esculhambação atual , os ( agora saudosos....) Milicos botaram os tanques nas ruas em 1964 e tivemos que aguentar uma ditadura por 21 anos seguintes.
Hoje temos a cleptocracia vermelha escancarada em que todos os proximos ao "pudê" acabam de bolsos cheios e ninguem fica sequer de cara vermelha. Alias vermelho atualmente so o nariz de palhaço que todos somos obrigados a usar e a cor de nossa ditadura atual.
Digno de muito vomito tambem aquela circunspecta figura funerea do "outrora" vermelhão da hora na figura do aldo rebello que so faltou lamber os sapatos do "patrão" jerome valcke na sua "volta triunfal" ao Brasil depois de nos desmoralizar la fora dizendo que deveriamos levar um pontapé "naquele lugar".
A que ponto chegamos e me preocupa a que pontos ainda poderemos chegar.

Defesa do direito privado do estrangeiro

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

500 anos após a chegada de Cabral ainda somos colônia.

Comentários encerrados em 17/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.