Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desculpa em público

Diretor da Globo se retrata por jornal com Hélio Costa

Por 

O jornal Folha de S.Paulo desta segunda-feira (8/8) vem com uma boa notícia para o ex-senador Hélio Costa. A página 7 do primeiro caderno da publicação traz uma retratação pública assinada por Roberto Talma Vieira, diretor da TV Globo, por determinação da 16ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Tudo em virtude de declarações dadas à revista IstoÉ, veiculadas pelo site em 30 de julho de 2010 e, na versão impressa, em 1º de agosto do agosto do mesmo ano.

A referência ao ex-ministro das Comunicações no governo Lula vem apenas no pé da reportagem “Acordo Espinhoso”, de pouco mais de 4,5 mil caracteres, e que falava sobre a abertura das investigações pelo Ministério Público sobre os R$ 254 milhões pagos pela Telebrás à empresa do empresário Uadji Menezes Moreira, amigo do político. Na época, Roberto Talma afirmou que sua parte da venda da estatal poderia ter ido parar nos cofres da campanha de Costa, que concorria ao governo de Minas Gerais.

O jornalista Hugo Marques, autor da reportagem, escreveu: “diretor de tevê suspeita que o dinheiro tenha ido parar na campanha de Costa. “Acho que o Uadji já deu o dinheiro que tinha que dar para o Hélio Costa”, afirma Talma. “Por que, de repente, essa coisa toda é de graça? Pensa bem. O processo não tinha tramitado nem tinham julgado tudo. Havia recursos na Justiça””.

Roberto Talma declara que resolveu se retratar por “por livre e espontânea vontade”. “Na ocasião”, escreve, “reconheço que fiz declarações que reconheço serem ofensivas e inverídicas contra o senador Hélio Costa atribuindo-lhes a prática de atitudes antiéticas ou ilegais”.

“Lamento e reitero minhas sinceras desculpas, retratando-me das declarações inverídicas e injuriosas expressadas por mim na revista IstoÉ número 2.125”, declarou Roberto Talma.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o valor do centímetro-coluna é R$ 870. Como a retratação ocupa três colunas e mede 13 centímetros (veja abaixo), deve ter custado aos bolsos de Roberto Talma quase R$ 34 mil.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 8 de agosto de 2011, 17h32

Comentários de leitores

1 comentário

Duvida??

Solamento (Bacharel - Comercial)

Estranho, ele diz que a retratação foi por livre e espontanea vontade, mas o titulo diz que foi por determinação da Justiça.
e Agora? Bom o importante é que houve a retratação, mas que toda notícia por mais precipitada que tenha sido publicada, pode haver imagens da verdade.

Comentários encerrados em 16/08/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.