Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Na hora do voto

Exigência de dois documentos é burocracia, diz PT

A apenas pouco mais de uma semana para os eleitores brasileiros irem às urnas, o diretório nacional do Partido dos Trabalhadores ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal contra a Lei 12.034 de 2009 que exige a apresentação de um documento com foto além do título na hora de votar. O partido afirma que a exigência excluirá muitos eleitores da eleição. A preocupação é que os mais simples não consigam votar. A relatora do caso é a ministra Ellen Gracie.

De acordo com a inicial apresentada no STF, apesar do objetivo de aprimorar a identificação do eleitor, a nova regra representa um impedimento legal do direito do cidadão de direito de votar, porque vedou o uso de certidão de nascimento e casamento como documento complementar ao título. A nova regra prevê a apresentação de documento com foto.

Na ocasião em que o Tribunal Superior Eleitoral discutia as novas regras para o pleito de 2010, o ministro relator Fernando Neves admitiu que a nova exigência poderia representar uma barreira já que, no Brasil, nem todas as pessoas têm documento com foto. Mas, ressaltou que a regra poderia valer desde que fosse “amplamente anunciada e divulgada”.

“Sem sombra de dúvida, a norma que buscava conferir a segurança no momento de identificação do eleitor, mediante a consulta a um documento oficial com foto, transmudou-se em burocracia desnecessária no momento de votação, com riscos a malferir diversos dispositivos da Carta”, diz o partido.

O partido afirma que a obrigação pode trazer consequências negativas, principalmente para as pessoas mais simples. Dessa forma, a lei pretendeu não apenas evitar as fraudes, como também complicou o ato de votar. De acordo com a ADI, o porte obrigatório de dois documentos é burocracia injustificável que apenas a República Velha concordaria.

Segundo o pedido de Medida Cautelar para desobrigar o uso dois documentos no momento do voto, a inconstitucionalidade reside na dupla exigência de identificação, a civil e eleitoral. Sendo assim, um obstáculo para o eleitor para exercer o direito de votar e consequentemente, uma contradição com a Constituição Federal. Além disso, alega ainda que é desproporcional o porte obrigatório de dois documentos oficiais.

“De nada adianta assegurar a correta identificação do eleitor se, para isso, for
escolhido um meio que restrinja o próprio direito de voto”, afirma o partido. A inicial destaca também que os dados de inscrição do eleitor já estão em poder da mesa receptora.

Por fim, na ADI, os autores observam que a nova regra é só mais uma burocracia que  contraria o principio da eficiência. “O eleitor brasileiro está habituado a votar apresentando apenas um documento válido de identificação civil, seja porque confia na seriedade do meio de prova sobre si mesmo que o próprio Estado lhe deu, seja porque confia na seriedade e na exatidão dos cadastros da Justiça Eleitoral”, completa.

O primeiro turno das eleições está marcado para o dia 3 de outubro, um domingo. O segundo turno será no dia 31 de outubro, também um domingo. Serão eleitos presidente da República, senadores, deputados federais, governadores e deputados estaduais. Neste ano, os eleitores deverão votar em dois senadores.

Clique aqui para ler a inicial.

ADI 4.467

Revista Consultor Jurídico, 25 de setembro de 2010, 14h43

Comentários de leitores

4 comentários

É MELHOR TER BUROCRACIA OU A FRAUDE?

Enos Nogueira (Advogado Autônomo - Civil)

Complementando o meu comentantário anterior: É melhor ter burocracia ou a fraude? Eu prefiro a burocracia porque a fraude fragiliza ou processo eleitoral, pois poderá eleger os "fichas sujas" que - em tese - têm prática em fraudar, corromper etc. (toda regra há excessões).

FOTOGRAFIA NO TÍTULO OU RG

Enos Nogueira (Advogado Autônomo - Civil)

Todo e qualquer cidadão brasileiro deve ter pelo menos um deses documentos: RG ou CTPS, além disso, existe outros documento com fotos com fé pública (carteira funcional etc.). Ninguém está sendo privado do direito (infelizmente, obrigatório no Brasil) de votar, o que se quer é evitar fraudes no processo eleitoral. Esta obrigatoriedade é totalmente constitucional, no entanto, o nosso legislativo ou executivo já deveria criar uma lei modificando o título de eleitor para que tivesse foto e fosse dotado com chip para evitar fraudes, antes da criação desse documento deve ser exigido o título e documento com foto, pois estarão sendo coibidas muitas fraudes.

PERGUNTO

Agoraeutomoposse (Outros)

Qual é a razão então de possuir o título de eleitor se na hora de votar ele não vale?!
Burocracia injustificável! já que na Mesa Receptora consta todos os dados do eleitor.
Palhaçada!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/10/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.