Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cadeira cativa

Tabelião recorre ao STF para não perder cartório

Tabelião responsável pelo Cartório de Registro de Imóveis da comarca de Rebouças, no Paraná, desde 1998, José Carlos Leandro apelou ao Supremo Tribunal Federal para continuar na função. O Tribunal de Justiça do estado listou o tabelionato como vago em um concurso público divulgado em 2007, contra a vontade do oficial.

Em Reclamação com pedido de liminar, Leandro alega não ter sido informado da decisão do tribunal de abrir concurso para o preenchimento da vaga que ele mesmo ocupava. Ele foi nomeado para a função por decisão do Fórum de Rebouças.

O pedido é para que o cartório seja excluído da listagem de vacância do edital para o concurso público. Segundo os advogados do oficial, a não comunicação do edital a Leandro fere o direito ao contraditório, à ampla defesa e ao devido processo legal. Eles destacam que não está claro o que deverá ocorrer com os funcionários que já trabalham no cartório, contratados pelo tabelião. A dispensa dos funcionários pode acarretar prejuízos financeiros ao reclamante.

A urgência no pedido se deve ao fato de que é em janeiro que os candidatos aprovados escolherão os cartórios onde desejam atuar, incluindo o de Rebouças.

Reclamação 7.555

Revista Consultor Jurídico, 21 de janeiro de 2009, 9h54

Comentários de leitores

1 comentário

Difícil largar a teta!

J.Henrique (Funcionário público)

Difícil largar a teta! Fez concurso? Não, foi indicado a título precário, que aqui no Brasil tende à eternidade, e quando chega, eventualmente, a hora da verdade fica esperneando!!

Comentários encerrados em 29/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.