Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Exame de Ordem

Faculdades do Rio foram as que mais aprovaram

Por 

As universidades particulares fluminenses Estácio de Sá e Cândido Mendes foram as que mais habilitaram bacharéis em Direito para o mercado de trabalho. No último Exame de Ordem Unificado concluído em 2008, as insituições aprovaram, juntas, 1.147 ex-alunos, 9% do total de aprovados. São Paulo e Minas Gerais não participam do exame unificado.

Apesar da grande massa de aceitos, o desempenho das faculdades não foi bom. As duas instituições tiveram em média 30% de aprovação, ou seja, menos da metade dos alunos que fizeram o exame obtiveram êxito. Na Estácio de Sá, foram 2,4 mil inscritos para a prova e apenas 834 aprovados. Na Cândido Mendes, 942 prestaram o exame e 313 passaram.

Segundo a presidente da Comissão Nacional de Exame de Ordem, Maria Avelina Imbiriba Hesketh, essa percentagem, de 30%, é a média de aprovação nacional.  “Apenas as faculdades públicas e algumas instituições tradicionais ultrapassam os 50%.” É o caso das duas faculdades públicas do Rio, a Universidade Estadual (UERJ) e a Federal (UFRJ), que aprovaram mais de 70% dos alunos que fizeram a prova. A UERJ foi a que teve o melhor desempenho: dos alunos que fizeram o exame, 79% foram aprovados.

O atual chefe do Departamento de Direito Civil da UERJ e vice-reitor na gestão de 2004/2008, Carlos Edison Rêgo Monteiro, acredita que alcançar os 79% de aprovação é um reflexo da escolha de alunos e professores. No seu entendimento, a capacidade de preparação do aluno já é testada no vestibular, quando o aluno concorre a uma vaga com mais nove pessoas.

Já o conhecimento jurídico, diz ele, deve ser testado durante a graduação, e não somente as vésperas do Exame de Ordem. “No decorrer dos cinco anos, o aluno deve ser preparado para o mercado. A aprovação reflete o período de ensino”, afirma.

Maria Avelina chama atenção para o fato de existirem vestibulares que não selecionam bem os estudantes. “O jovem faz uma simples redação e pronto, já está na faculdade. Ele é aprovado, não foi bem preparado, chegou com deficiências de ensino médio, mas a faculdade vai aprovando para o próximo ano porque precisa manter esse privilégio de aprovar. Mas o verdadeiro resultado é revelado no Exame de Ordem.”

Peso do Rio

A OAB no Rio de Janeiro foi a seccional que teve o maior número de alunos na disputa do Exame de Ordem Unificado 2008.2. Foram quase 8 mil presentes e 2,4 mil aprovados.

Na lista de faculdades que mais aprovaram nesse exame, quase não aparecem as públicas porque a maior parte dos alunos se formou no final do ano de 2007 e foi aprovada no primeiro exame de 2008. Segundo dados do primeiro Exame de Ordem de 2008, a média de aprovação das faculdades públicas foi de 80%. No Rio, a situação é um pouco diferente. Uma boa parte dos alunos faz a prova no meio do ano porque uma liminar permite que alunos no último semestre façam já o exame.

A tabela abaixo considera apenas as faculdades que tiveram mais de 100 alunos inscritos para o exame. Para ver a lista com 332 instituições, clique aqui.

Resultado do Exame de Ordem 2008 - Jeferson Heroico

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 24 de fevereiro de 2009, 7h44

Comentários de leitores

6 comentários

EXAME DE ORDEM

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Passar no exame de ordem é questão de dedicação. Além disso, O Exame é constitucional. O artigo 5º da Constituição Federal, quando trata dos direitos e garantias individuais, no inciso XIII, diz que é livre o exercício de qualquer profissão, "observadas as condições de capacidade que a 'lei' estabelece". A legislação diz que para ser advogado é preciso ser bacharel em Direito e obter aprovação no Exame de Ordem. A OAB não pretende dificultar o acesso à profissão. Quer avaliar a capacidade de exercê-la e o preparo do bacharel.
Infelizmente os cursos "caça-níqueis" criaram milhões de bacharéis que se formaram estudando muito pouco e isso gerou um vício em não estudar, colocando-os à margem do conhecimento jurídico, que é avaliado pela Ordem apenas uma vez, ou seja, NO EXAME DE ORDEM.
O ensino público não é melhor. Melhor são os alunos, pois são selecionados, o que não ocorre na maioria das faculdades "caça-níqueis" do nosso país.
Uma pessoa que entra ano, sai ano, continua reprovando reiteradamente no exame de ordem, deveria sim, ser obrigada a fazer uma nova faculdade, pois não há razão lógica para tanta reprovação. Eu sentiria vergonha de um filho assim...
Dia 12/02/09, salvo engano, o Min. Marco Aurélio arquivou uma ADPF movida por um bacharel em direito.
Não se trata nem da ilegitimidade, mas sim de incapacidade postulatória, e essa é a razão para que a OAB impeça que esse tipo de gente advogue, pois nesse caso, graças à Deus, o tal bacharel não estava lidando com pretensão alheia.
Os cursos jurídicos formam bacharéis em Direito e a advocacia é uma das profissões que podem ser seguidas por esses bacharéis, desde que preencham o requisito legal, que é a inscrição nos quadros da OAB, depois de serem examinados. Simples assim!

Matéria não confiável

Antônio dos Anjos (Procurador Autárquico)

A faculdade privada que mais aprova no exame de ordem do RJ é a PUC/RJ que sequer é mencionada na matéria.
Diversas instituições que aprovam mais que as faculdades privada mencionadas sequer foram lembradas.
Matéria não confiável.

Satisfação

Barbara O S Araujo (Advogado Assalariado - Civil)

Fico muito satisfeita em ler a matéria sobre o Exame de Ordem. Me formei pela Estácio de Sá e passei logo no primeiro exame. Muitos duvidavam dessa possibilidade pela "fama" da Estácio, mas nós, ex-alunos e eternos estudantes é que temos a responsabilidade de percepção do ensino. Comecei estudando em outra faculdade do Rio e percebi logo no primeiro ano que o ensino era fraco, resolvi mudar para a Estácio e não me arrependo.
Me pós-graduei por lá e quem sabe um dia curso o MEstrado também. Eu recomendo a todos o ensino de Direito da Estácio, mas sempre lembrando que nós é que estamos contratando e temos além do direito, o dever de cobrar a melhor prestação de serviços educacionais.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 04/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.