Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novos defensores

Defensoria Pública de SP aplica prova para concurso

Será aplicada no próximo domingo (1/3) a prova escrita do III Concurso de Ingresso na Carreira de Defensor Público de São Paulo. A Defensoria Pública publicou um edital no dia 14 de fevereiro, convocando os candidatos. Os aprovados farão parte de um cadastro de reserva para preenchimento de vagas que forem abertas ou criadas nos próximos dois anos, prazo que pode ser estendido para quatro anos.

A prova será aplicada na capital e terá duração de quatro horas. Serão 100 questões de múltipla escolha com cinco alternativas cada. As disciplinas envolvidas serão Direito Civil, Comercial, Processual Civil, Penal, Processual Penal, Constitucional, Administrativo, Tributário, Difuso, Coletivo, da Criança e do Adolescente, Direitos Humanos e Princípios e Atribuições Institucionais da Defensoria Pública do estado. Serão aprovados os candidatos que tirarem no mínimo nota três em cada matéria, e que tiverem média igual ou superior a cinco, com classificação entre os primeiros quinhentos colocados.

Os candidatos deverão comparecer ao local da prova às 8h, com documento de identidade, caneta esferográfica de tinta preta, lápis preto e borracha. Os portões serão fechados às 8h30. Todos os participantes receberão um cartão informativo com o local do teste até três dias antes da data da aplicação.

Caso contrário, devem acessar o site da Fundação Carlos Chagas ou a página da Defensoria Pública do estado. A informação também pode ser checada no Conselho Superior da Defensoria, com sede na Rua Boa Vista, 103, 7º andar, de segunda a sexta-feiras, das 10h às 17h, ou pelo Serviço de Atendimento ao Candidato da Fundação Carlos Chagas, pelo telefone 3721-4888.

Clique aqui para acessar o edital de convocação, e aqui para ver a relação dos candidatos convocados e locais das provas.

Revista Consultor Jurídico, 24 de fevereiro de 2009, 6h30

Comentários de leitores

3 comentários

monopólio de pobre

analucia (Bacharel - Família)

Defensor Público agora sofre de DEFENSORITE, inflamaçao aguda do EGO, e se acha superior aos demais. O CNJ teve que constar na REsoluçao que seja o serviço gratuito, pois apenas Defensor Público pode lucrar com a pobreza alheia e ainda ter tempo para atender quem anda de aviáo para aparecer na Televisáo.

Vá estudar Ana Lucia que é melhor...

Defensor Federal (Defensor Público Federal)

Sr. Ana "tenho pena" Lucia...
Nao existe monopólio do pobre, inclusive o CNJ acaba de lançar o projeto do voluntariado ...
Se a Sra. está TAO PREOCUPADA COM OS POBRES (ou seria com os honorarios a titutlo de "ad hoc" ???) porque que a senhora nao se cadastra lá ???
Resolvido o problema....
Agora, querer ganhar dinheiro público sem concurso e sem licitação a Sra. quer né ???

monopólio de pobre

analucia (Bacharel - Família)

monopólio de pobre pela defensoria viola a ampla defesa e os direitos humanos ao centralizar e estatizar a assistencia juridica.

Comentários encerrados em 04/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.