Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Abstinência eleitoral

Mais de um milhão de títulos eleitorais poderão ser cancelados

Mais de um milhão de eleitores que deixaram de votar nas últimas três eleições poderão ter seus títulos cancelados, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. O número corresponde a 0,92% do total de eleitores do país (121.556.170).

O estado de São Paulo, que possui o maior eleitorado do país (27.141.587), teve também o maior número de eleitores nessa situação: são 260.345 faltosos. Ou 0,96% do total, que poderão ter seus títulos cancelados.

O estado da Bahia ficou em segundo lugar, com 104.962 eleitores (1,17%), e Minas Gerais, com o segundo maior eleitorado do país (13.286.756), em terceiro, com 102.659 eleitores (0,77%) que não votam desde as eleições municipais em 2000.

Se levada em conta a proporcionalidade entre número de eleitores e número de eleitores faltosos, Mato Grosso fica em primeiro lugar como o estado brasileiro com maior número de eleitores nessa situação: 1,72% do eleitorado total (31.656 títulos).

Em segundo lugar em percentual está o estado do Amazonas, com 1,65% ou 104.962 eleitores. Em terceiro Rondônia, com 1,62% do total, ou 15.446 eleitores. As informações são do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso.

Confira o número de eleitores de cada estado do Brasil e do Distrito Federal que faltaram nas três últimas eleições consecutivas e o percentual aproximado de acordo com o total do eleitorado:

Acre – 388.247 eleitores – 5.149 faltosos – 1,33%;

Alagoas – 1.761.895 eleitores – 14.220 faltosos – 0,81%;

Amazonas – 1.664.366 eleitores – 27.438 faltosos – 1,65%;

Amapá – 329.224 eleitores – 4.521 faltosos – 1,37%;

Bahia – 8.948.307 eleitores – 104.962 faltosos – 1,17%;

Ceará – 5.142.397 eleitores – 44.329 faltosos – 0,86%;

Distrito Federal – 1.526.672 eleitores – 12 faltosos – 0,00%;

Espírito Santo – 2.245.536 eleitores – 25.523 faltosos – 1,14%;

Goiás – 3.619.414 eleitores – 47.381 faltosos – 1,31%;

Maranhão – 3.747.896 eleitores – 43.429 faltosos – 1,16%;

Minas Gerais – 13.286.756 eleitores – 102.659 faltosos – 0,77%;

Mato Grosso do Sul – 1.493.059 eleitores – 17.868 faltosos – 1,20%;

Mato Grosso – 1.843.388 eleitores – 31.656 faltosos – 1,72%;

Pará – 3.992.120 eleitores – 53.618 – 1,34%;

Paraíba – 2.464.171 eleitores – 15.115 – 0,61%;

Pernambuco – 5.657.961 eleitores – 46.861 faltosos – 0,83%;

Piauí – 1.988.205 eleitores – 15.904 – 0,80%;

Paraná – 6.924.403 eleitores – 59.871 faltosos – 0,86%;

Rio de Janeiro – 10.559.572 eleitores – 93.926 faltosos – 0,89%;

Rio Grande do Norte – 2.019.492 eleitores – 13.864 faltosos – 0,69%;

Rondônia – 953.160 eleitores – 15.446 faltosos – 1,62%;

Roraima – 214.593 eleitores – 2.143 faltosos – 1,00%;

Rio Grande do Sul – 7.558.617 eleitores – 32.100 faltosos – 0,42%;

Santa Catarina – 4.000.919 eleitores – 24.671 faltosos – 0,62%;

Sergipe – 1.242.696 eleitores – 9.102 faltosos – 0,73%;

São Paulo – 27.141.587 eleitores – 260.345 faltosos – 0,96%;

Tocantins – 841.517 eleitores – 9.313 faltosos – 1,11%.

Revista Consultor Jurídico, 28 de fevereiro de 2005, 20h30

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 08/03/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.