Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Coluna do Rio

Agnaldo Timóteo é condenado a indenizar comissária de bordo

Por 

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou o cantor e atual participante da Casa dos Artistas, Agnaldo Timóteo, a pagar indenização de dois mil salários mínimos à comissária de bordo Elizabeth Gomes da Silva.

Em 1998, o cantor agrediu a comissária dentro de um avião da Vasp, que fazia a ponte aérea Rio-São Paulo. O cantor, que também foi condenado criminalmente pelo fato, já teve o nome envolvido em outras brigas.

Caos na segurança

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Marcus Faver, afirmou que o Executivo perdeu o controle em certas regiões da cidade e deixou implantar um governo paralelo.

"É preciso então que as autoridades da segurança pública voltem a atuar com firmeza para impedir novos crimes que vem acontecendo na ex-cidade maravilhosa", disse ao citar a morte do jornalista Tim Lopes.

Curva

As liminares para as distribuidoras de combustível seguem os caminhos mais inusitados. Essa semana, a Justiça do Pará concedeu liminar a uma empresa do Paraná.

A Justiça autorizou a compra de gasolina no Rio de Janeiro em quantidade acima da cota fixada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Vagas abertas

As inscrições para o preenchimento de vagas de titulares de cartórios no Rio de Janeiro serão abertas na próxima semana. As 115 vagas são decorrentes da morte ou aposentadoria dos então titulares. As provas serão em julho.

De volta ao passado

Os promotores que acusam a atriz Winona Ryder de furtar mercadorias afirmam que ela já se envolveu em caso semelhante anteriormente. A notícia está publicada na revista "Newsweek".

 é editor da revista Consultor Jurídico no Rio de Janeiro

Revista Consultor Jurídico, 13 de junho de 2002, 11h55

Comentários de leitores

1 comentário

MP ou projeto- de- lei devem ser aprovados pelo...

Julius Cesar (Bacharel)

MP ou projeto- de- lei devem ser aprovados pelo Congresso Nacional regulamentando as ações de danos materiais e danos morais. Sugiro que ações até 60 salários mínimos, sejam ajuizadas exclusivamente nos juizados especiais civeis Federal e Estaduais, onde os autores gozarão do benefício da justiça gratuíta e do jus postulandi. Para ações cujo pedido seja superior a 60 e inferior a 100 salários minimos, o autor deverá ajuiza-la nas Varas competentes. Neste caso o teto do pedido será de cem salários mínimos, vedada a concessão de justiça gratuíta , depósito de 10% do valor do pedido a titulo de caução e sujeição ao pagamento de honorários de sucumbência.

Comentários encerrados em 21/06/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.