Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Telefônica condenada

Telefônica não deve condicionar Speedy a contratação de provedor

O juiz do Juizado Especial Cível da Universidade Mackenzie, Marco Fábio Morsello mandou a Telefônica continuar a prestar o serviço de speedy para o consumidor Daniel Fraga, sem exigir a contratação de um provedor.

Se a Telefônica não cumprir a decisão poderá pagar multa diária de

R$ 50,00 até R$ 3.600,00.

O consumidor se irritou porque os serviços de speedy foram bloqueados mesmo depois de pagar as parcelas em dia. A empresa exigiu que o internauta contratasse um provedor. Como dependia da Internet em suas atividades teve que contratar um provedor e pagar a mais pelo serviço.

Segundo o consumidor, a contratação de um provedor seria desnecessária já que o "speedy fornece o acesso à Internet sem precisar outra empresa para a transmissão e recepção de dados".

Processo nº 000-01.214.222-0

Revista Consultor Jurídico, 15 de fevereiro de 2002, 11h16

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 23/02/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.