Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pedida a falência do Mappin

Empresa importadora pede a falência do Mappin

Foi pedida nesta semana a falência da rede Mappin Lojas de Departamentos S/A. O pedido, feito pela empresa de importação Rexcel Comércio Exterior Ltda., é relativo a uma dívida de cerca de R$ 40 mil.

A empresa importadora forneceu, no final do ano passado, Cd's e acessórios para o Mappin. O pagamento referente à venda, com vencimento previsto para fevereiro, não foi efetuado pela loja.

Segundo o advogado Paulo Roberto Mariano, do escritório Mariano Prado e Associados, "o pedido de falência foi precedido por uma tentativa de negociação, não restando outra alternativa à Rexcel". As propostas feitas pelo Mappin visavam pagamentos parcelados em duas ou três vezes, a partir de abril, o que foi considerado inviável pela importadora.

O pedido de falência será analisado pelo juiz da 4ª Vara Cível de Barueri, onde tramita o processo. Procurado pela reportagem da Revista Consultor Jurídico, o departamento jurídico do Mappin não se manifestou sobre o episódio.

Recentemente, contudo, o Superior Tribunal de Justiça decidiu que é inaceitável pedir a falência do devedor antes de proceder-se a execução ou a ação de cobrança. O recurso tem sido utilizado com freqüência por credores para forçar empresas a pagar suas dívidas.

O caso concreto julgado teve origem no Rio Grande do Sul. O Tribunal de Justiça gaúcho havia considerado legal a substituição do procedimento e aceitou a alegação de que a empresa devedora encontrava-se, efetivamente, insolvente – com base na existência de duplicatas vencidas e não pagas.

A empresa impontual ingressou com recurso no STJ, onde a Quarta Turma reformou a decisão anterior. Para o ministro Ruy Rosado de Aguiar, relator do processo, o pedido de falência não pode ser substituir os meios processuais adequados, ainda mais quando não se comprova a insolvência. "Cabe ao juiz evitar o abuso do credor quando pede falência, querendo rapidez na cobrança".

Notícia recente, publicada pela Folha de S.Paulo, dá conta de que o controlador das lojas Mappin e Mesbla tem enfrentado sérias dificuldades para administrar as duas cadeias. Por conta disso, o empresário estaria tentando vender algumas lojas da Mesbla, por não conseguir vendê-la inteira. O motivo seria o elevado endividamento da empresa, que já enfrentou uma concordata no ano passado.

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 1999.

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 1999, 10h28

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/03/1999.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.