Consultor Jurídico

R$ 1 mil por m²

TJ-SC segue perícia e mantém valor para desapropriação de área em Florianópolis

Por considerar que o laudo técnico foi "produzido de maneira adequada e fundamentada", a 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina manteve o valor da desapropriação de uma propriedade na parte continental de Florianópolis.

Ação foi proposta pela Prefeitura de Florianópolis contra empresa pesqueira

A prefeitura moveu ação de desapropriação contra uma empresa do ramo pesqueiro, pela necessidade de promover mudanças no sistema viário da região. A 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital declarou a incorporação da área ao patrimônio do Executivo municipal, mediante o pagamento de pouco mais de R$ 1 mil por m².

Ambas as partes questionaram o valor. A empresa pedia que o montante fosse dobrado. Já a prefeitura pedia sua redução, com base em uma avaliação administrativa.

O desembargador Luiz Fernando Boller, relator do caso no TJ-SC, entendeu que "a perícia foi realizada adequadamente, esclarecendo com propriedade todos os pontos pertinentes ao caso, respondendo os quesitos formulados por ambas as partes e explicitando, de maneira minuciosa, os fundamentos para chegar ao valor indenizatório".

Não haveria nos autos elementos capazes de anular o laudo técnico. O magistrado lembrou que a determinação de novo laudo técnico só poderia ocorrer se o tema não estivesse suficientemente esclarecido, o que não seria o caso.

A decisão, unânime, apenas concedeu uma pequena readequação na base de cálculo dos juros compensatórios. Com informações da assessoria de imprensa do TJ-SC.

Clique aqui para ler o voto do relator
Clique aqui para ler o acórdão
021986-15.2011.8.24.0023




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 20 de novembro de 2021, 12h45

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 28/11/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.