Consultor Jurídico

Luto no Direito

Morre Zeno Veloso, jurista, professor e escritor paraense

Morreu nesta quinta-feira (18/3), aos 75 anos, o jurista, professor e escritor Zeno Augusto Bastos de Veloso. Ele foi deputado estadual e secretário de Justiça do Pará, além de ter sido um dos fundadores do Instituto Brasileiro de Direito da Família (IBDFam).

Formado pela Universidade Federal do Pará em 1969, recebeu da instituição o título de Notório Saber e era Doutor Honoris Causa da Universidade da Amazônia (Unama). Zeno Veloso lecionou Direito Civil e Direito Constitucional na UFPA (decano) e ajudou na formação de várias gerações de advogadas, advogados e operadores do Direito.

Participou da elaboração das constituições estaduais do Pará e do Amapá, tendo sido relator-geral da Assembleia Constituinte do Pará. Foi assessor da 2ª vice-presidência da Assembleia Nacional Constituinte e integrou a comissão de juristas que assessorou o relator do projeto do Código Civil de 2002 na Câmara dos Deputados.

Pelo Twitter, o ministro Gilmar Mendes lamentou a morte de Veloso. "Manifesto profundo pesar pelo falecimento, na data de ontem, do jurista paraense Zeno Veloso. Foi deputado estadual, secretário de Justiça e se sagrou como um dos maiores civilistas brasileiros. Meus sentimentos à família e à legião de alunos seguidores deste gigante".

Em seu site, a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Pará lamentou a perda irreparável. "Seu humanismo e seu legado jurídico jamais serão esquecidos. Neste momento de dor e consternação, a presidente em exercício da OAB no Pará, Cristina Lourenço, em nome do Conselho Seccional e de toda a advocacia paraense, expressa condolências aos familiares e amigos do jurista, professor e escritor."

O IBDFam, por sua vez, destacou que "durante 23 anos de IBDFAM, Zeno compartilhou um legado de conhecimento que será eterno. O IBDFAM presta sua solidariedade aos familiares, amigos, admiradores e ibedermanos."

O escritório Silveira, Athias, Soriano de Mello, Guimarães, Pinheiro & Scaff Advogados expressou, em nota, "o mais profundo pesar pelo falecimento e perda irreparável do seu consultor, professor e Jurista Zeno Veloso", que, em 2018, se tornou parecerista e consultor da banca.

"O nosso profundo pesar neste sentido momento, mas com a feliz lembrança do dia a dia em seu alegre convívio, expressamos nossas condolências à família enlutada."

"Conheci Zeno Veloso quando ainda era estudante de Direito em 1993", lembrou Otavio Luiz Rodrigues Jr, advogado, professor da USP e conselheiro nacional do Ministério Público. "Ele escrevia sobre testamentos e controle de constitucionalidade, o que só explica sua versatilidade como jurista. Ex-assessor da Assembleia Nacional Constituinte e constituinte em seu Estado, o Pará, Zeno era uma daquelas pessoas de palavras suaves e argumentos fortes. O Zeno que conheci ficará guardado na memória e na riqueza de seus escritos. Perdemos um jurista que honrou o país."

"Grande jurista e professor paraense, referência para todo o país no Direito Civil, Constituição e na capacidade de interpretar as leis e a sociedade, em sua pluralidade", destaca uma nota do Ministério Público Federal no Pará.

"O Brasil perdeu um dos seus maiores juristas, o Professor Zeno Veloso. Uma grande pessoa, sempre generosa, que incentivou os mais jovens. O seu legado persiste e nós, seus amigos e eternos alunos, seguiremos a sua missão de levar a Boa Justiça. Que Deus o receba como um Espírito de Luz que é, um sábio que cumpriu a sua missão!", disse Flávio Tartuce, Presidente do IBDFAM-SP e do IBDCont.

"O Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp) lamenta o falecimento do nosso associado Zeno Augusto Bastos de Veloso. Aos amigos e familiares, nossas condolências. Zeno Veloso nos deixa um legado importante e na nossa memória sua amizade e apreço", escreveu o presidente do Iasp, Renato de Mello Jorge Silveira.

Para Rodrigo Xavier Leonardo, advogado e professor associado e chefe do Departamento de Direito Civil e Processual Civil na UFPR, "o professor Zeno Veloso foi um jurista singular. Deixou um importante legado na docência, no Poder Legislativo e no ofício dos registros públicos. Os seus escritos e as suas lições permanecerão como referência indispensável para a compreensão do tempo contemporâneo. Lamentavelmente, a terrível pandemia que assola o Brasil e o mundo fez mais uma vítima.   Meus sentimentos aos familiares, amigos e alunos do Professor".




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 2021, 8h56

Comentários de leitores

2 comentários

Um jurista brilhante

JOSÉ ANTONIO ALMEIDA (Advogado Sócio de Escritório - Eleitoral)

Tive a honra de conhecer pessoalmente o Professor ZENO VELOSO, jurista brilhante e conferencista de escol. Também me socorri de seus ensinamentos, através de seus livros jurídicos e outros trabalhos, inclusive utilizando-os em peças processuais que elaborei.
Trata-se de uma grande perda para o direito e para todos nós que o admirávamos, inclusive porque cativados por sua simpatia e seu senso de humor, como destacou o colega no comentário acima.

Dr. Zeno Veloso vai brilhar no céu

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Assisti a uma palestra do Dr. Zeno Veloso, aqui em São Paulo, no ano de 2012. Fiquei impressionada com seu conhecimento jurídico e seu senso de humor. Lembro uma de suas muitas frases espirituosas naquela exposição. Referindo-se aos casos de interdição civil, disse ele "eu acho que um jovem apaixonado deve ser interditado e impedido de dispor de seus bens enquanto durar a paixão".
Dias depois, comentei com um primo advogado e paraense sobre o Dr. Zeno e qual não foi minha surpresa quando meu primo disse que eram amigos próximos.
Dr. Zeno Veloso vai brilhar no céu.

Comentários encerrados em 27/03/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.