Consultor Jurídico

1º de Bolsonaro

Lista tríplice para escolha de novo ministro do STJ será definida em sessão presencial

Em reunião desta quinta-feira (25/2), por videoconferência, o Pleno do Superior Tribunal de Justiça decidiu, por 25 votos (presencial) a 5 (videoconferência), que a formação da lista tríplice para a escolha do novo ministro do tribunal vai acontecer em sessão presencial. Deixaram de comparecer à sessão, por motivo justificado, dois ministros.

STJLista tríplice para escolha de novo ministro do STJ será definida em sessão presencial

A vaga na corte foi aberta com a aposentadoria do ministro Napoleão Nunes Maia Filho, em dezembro de 2020. Com a decisão do Pleno, o STJ vai convocar desembargador federal, cujo nome será indicado e submetido à aprovação pela Corte Especial, na sessão do próximo dia 3 de março, na forma do artigo 56 do Regimento Interno do STJ.

O magistrado convocado vai atuar na 1ª Turma e na 1ª Seção, especializadas em direito público, até que o futuro ministro seja empossado.

O Pleno escolherá três nomes de integrantes dos Tribunais Regionais Federais, por votação secreta e presencial, e o presidente do STJ encaminhará a lista ao presidente da República, que, por sua vez, indicará um nome para sabatina e aprovação no Senado Federal. Após, o chefe do Poder Executivo nomeará o aprovado para ministro do STJ. Esse será o primeiro ministro indicado pelo presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o artigo 10 do Regimento Interno, compete ao Pleno elaborar as listas tríplices de magistrados de segunda instância, advogados e membros do Ministério Público que serão submetidas ao Poder Executivo para a escolha dos ministros do tribunal.

Composição
Como prevê o artigo 104 da Constituição Federal, o STJ é composto de, no mínimo, 33 ministros, que são nomeados pelo presidente da República entre brasileiros com mais de 35 e menos de 65 anos, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado.

Ainda segundo a Constituição, as cadeiras do STJ são divididas da seguinte forma: um terço entre membros dos Tribunais Regionais Federais e um terço entre desembargadores dos Tribunais de Justiça, indicados em lista tríplice elaborada pelo próprio STJ; um terço, em partes iguais, entre advogados e membros do Ministério Público Federal, estadual, do Distrito Federal, alternadamente, indicados na forma do artigo 94 da Constituição. Com informações da assessoria do STJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 25 de fevereiro de 2021, 21h38

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 05/03/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.