Consultor Jurídico

Luto na advocacia

Morre Ernando Uchoa Lima, ex-presidente da OAB Nacional

Morreu em Fortaleza nesta segunda-feira (27/12), aos 89 anos, o advogado Ernando Uchoa Lima, ex-presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil.

Uchoa Lima foi o único cearense a
ocupar a presidência nacional da OAB
Reprodução 

O advogado cearense foi presidente da seccional do Ceará da OAB nos biênios 1989/1991 e 1991/1993, passou pelo Conselho Seccional da entidade e pela Comissão de Direitos Humanos. Em 1993, foi eleito vice-presidente do Conselho Federal. Ele chegou à presidência da OAB Nacional em abril de 1995 e comandou a entidade até janeiro de 1998.

Ernando Uchoa Lima teve sua trajetória marcada por uma relevante atuação na seara criminal, no magistério e também na política, tendo sido senador da República e secretário estadual nas pastas de Justiça e Cultura. Era membro da Academia Cearense de Letras e foi agraciado com a Medalha Advogado Padrão da OAB-CE, a Medalha José de Alencar e oTroféu Sereia de Ouro. Também foi professor e diretor-pedagógico do Colégio Lourenço Filho e conselheiro do Tribunal de Contas do Ceará.

"É com muita tristeza que recebo a notícia da perda do amigo Ernando Uchoa. Ele teve uma contribuição inestimável para a advocacia e para o Direito. Com seu caráter pacificador e espírito conciliador de homem cumpridor de palavra, fez um trabalho em prol da união da advocacia na sua gestão no Conselho Federal. Presto toda a minha solidariedade aos familiares e amigos", afirmou Felipe Santa Cruz, presidente nacional da OAB.

A OAB-CE manifestou seu pesar pelo falecimento do advogado e decretou luto oficial de três dias. "Uma perda imensurável para o Direito. A Ordem se solidariza com a família e amigos nesse momento de profunda dor e reitera que seu legado muito nos orgulha e será sempre lembrado, não só no estado do Ceará, mas em todo o país", disse a presidente em exercício da entidade, Vládia Feitosa.

Marcus Vinícius Furtado Coelho, ex-presidente da OAB nacional, também lamentou a morte de Uchoa Lima. "Perdemos um líder de alma boa e leve. A advocacia e a cidadania muito obtiveram em decorrência da atuação deste ex-presidente da OAB nacional que marcou a história da entidade. Um conterrâneo do Nordeste que esteve à altura dos desafios".

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, recebeu com tristeza a notícia. "Este grande amigo e irmão destacou-se enquanto homem de conduta pessoal, ética e profissional irretocáveis, com passagens memoráveis pela presidência da OAB-CE e como membro do Conselho da Justiça Federal, representando a classe dos advogados. De notável conhecimento jurídico e humanístico, Ernando Uchoa Lima representa uma perda irreparável não só para a advocacia, mas também para todo o sistema de Justiça e para a sociedade brasileira. Seu legado de honrosos serviços prestados à cidadania será eterno! Que Deus, em sua infinita misericórdia, conforte a família e os amigos neste momento de luto".

Para o advogado Otávio Luiz Rodrigues, Uchoa Lima foi um dos últimos expoentes de uma geração que reconstruiu a OAB após o regime militar. "Homem elegante, forjado na busca pelo consenso, deixou a presidência do Conselho Federal da OAB sob uma chuva de pétalas jogadas pelos funcionários da entidade, tamanho o carinho que por ele nutriam. Teve grande influência na OAB nos anos 1980-1990 e foi o primeiro cearense a presidi-la".

O advogado Carlos Roberto de Siqueira Castro também manifestou o seu pesar. "Com muita tristeza e saudade, comunico o falecimento do ilustre e querido amigo Ernando Uchoa Lima. Foi um grande presidente do CFOAB, muito digno, conciliador, acolhedor e fraterno com todos nós. Deixa um exemplo para o Ceará, para o Brasil e para a advocacia brasileira. Que Deus abençoe sua alma e espírito e proteja sua família".

"Em meu nome e da Academia Brasileira de Direito Criminal (ABDCrim), registro com imensa tristeza e pesar o falecimento do Acadêmico Ernando Uchoa Lima, que tomou posse em 1996 (foto), ilustre Advogado Criminalista cearense, que presidiu o Conselho Federal da OAB", afirmou o presidente da ABDCrim, Luiz Flávio Borges D’Urso. "Nossos sentimentos e que o amigo, colega e confrade, que fará muita falta, descanse em paz."

José Roberto Batochio, ex-presidente da OAB, fez coro à tristeza dos colegas. "Uma dor aguda trespassa o peito, qual lança certeira,  a dolorosa notícia de que a advocacia, o Brasil e todos nós perdemos o Ernando. Não cabe em meras palavras sua dimensão de advogado, cidadão, político libertário, poeta, em suma, de ser humano integral e modelo para gerações. Estará no lugar destinado aos bons, solidários e justos. Até um dia, Ernando, fique em paz!"

O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), por meio de nota, também manifestou "profundo pesar" pela morte de Uchoa Lima. O advogado ingressou no IAB em 1995, mesmo ano em que assumiu a presidência da OAB.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 27 de dezembro de 2021, 12h26

Comentários de leitores

2 comentários

Uchoa

Douglacir Antonio Evaristo Sant Ana (Advogado Associado a Escritório - Civil)

Tive a honra de conhecê-lo. Tempos em que a OAB era aguerrida e não um braço da política como se vê hoje. Seu nome e sua luta, ao lado de homens como Batochio, Lavenere, Origa, muito honrou nossa querida Instituição. Deixará saudades.

Ernando uchoa lima

Reginaldo Castro (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Escrever uma página sobre o nosso Ernando Uchoa Lima, seria uma ofensa à sua memória. Foi um irmão de lutas intensas em favor da renovação da OAB. Teve uma postura silenciosa, modesta e sóbria ao produzir a inflexão da postura de nossa entidade no período pós-ditadura, com a CF de 1988 em plena vigência. Ao lado de Ulisses Guimarães, considero o querido irmão Ernando, um dos pilares do Estado Democrático de Direito do qual hoje desfrutamos. Tive a maior honra de minha vida por ter convivido com ele, como seu Secretario-Geral, durante a gestão de Presidente Nacional da OAB.

Comentários encerrados em 04/01/2022.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.