Consultor Jurídico

Senso incomum

O lançamento de "O Sensacionalista" no Direito — só que é tudo verdade!

Por 

Existe o excelente O Sensacionalista, blog satírico sobre a politica e o cotidiano. Proponho a criação do Sensacionalista Jurídico. Um repertorio de coisas de verdade que parecem não ser de verdade. Mas que são. Aqui vai a primeira edição.

Professor dá aulas de "como ser misógino"
Começaria com o vídeo do professor de cursinho F. Alonso ensinando "lições de misoginia" e "de como a vestimenta da vítima de estupro pode ser um incentivo para o agressor". Sensacional(ista). E depois, como sempre, vem o pedido de desculpas. Como o deputado Daniel Silveira. Alguns chegam a dizer que fizeram tal coisa porque tomam remédio. Sérgio Moro pediu desculpas sinceras — escusas — em 32 laudas. E nem falou se tomava remédios.

Como na ConJur, o Sensacionalista também tem comentaristas com nickname. O comentarista "O Cursilhista" escreveu: "O Brasil é pródigo em pedidos de desculpas. Como o Ministro Guedes. Esculhambou com a China e...pediu desculpas. Foi 'mal interpretado'."

Diálogos impertinentes "degolam tese em divórcio"
Outra manchete do SJ (Sensacionalista Jurídico) vem de Joinville, SC. Diálogos secretos entre juiz e assessora. Acabaram esculpidos nos autos. Em carrara. Combinando a degola de um réu em ação de divórcio. Claro, o juiz pediu desculpas. Mas, mesmo assim, sentenciou. Conforme combinara com a assessora. O diálogo entre o juiz e a assessora disputa taco a taco com os diálogos entre Moro e a Força Tarefa da Lava Jato. Ah: o juiz pediu desculpas.

O comentarista de apelido 'Vazajato' escreveu: "Ora, é isso que merecemos se admitirmos como legítimas essas relações perigosas. Não deixa de ser ilustrativo a imitação do que ocorreu na Lava Jato."

Faculdade de direito lança a disciplina sobre extrassensorialidade
O Rio Grande do Sul é manchete do Sensacionalista Jurídico. Vem da FURG de Rio Grande a manchete de que o curso de direito tem a disciplina "direito e extrassensorialidade". É o que consta na grade à disposição do público. Na ementa, consta que a disciplina pretende fazer uma epistemologia da extrassensorialidade. O que o titular da cadeira entende por "epistemologia"? O Sensacionalista Jurídico perguntaria: como se faz isso? É para usar na investigação da prova? Penal? Cível?

Comentário do leitor "Cuidador do Direito": "Com todo o respeito que as religiões merecem (afinal, a liberdade religiosa é direito fundamental), mas a pergunta é: como estudar clarividência e a percepção extrassensorial de objetos à distância em um curso de direito? E a gente estudando filosofia do direito e outros temas. Enfim. Universidades públicas podem se dar esse luxo, é claro. Comi cidadão, tenho direito a accountabillity. Por qual razão essa disciplina e não outras, de outras crenças? Pensando bem, talvez seja isso que esteja faltando nos cursos jurídicos. Ademais, fere a Constituição essa disciplina. Qualquer religião pode pedir uma disciplina, algo como "a força do evangelho no direito"? (Ah, mas o tribunal tal já decidiu com base em cartas psicografadas! Bom, aí é que nos rendemos mesmo ao "direito é o que o tribunal diz que é". Daqui a pouco, teremos a disciplina "direito e power point", trabalhando a perspectiva "científica" (sic) do filósofo russo Deltanov Dallagnovitch)."

Réu e advogado dormem no ponto e condenação sai em 48 horas
Outra manchete: Uma condenação de um réu em 48 horas. Bateu o recorde internacional de rapidez condenatória. Prêmio IPI (Indevido-Processo-Ilegal). Claro que o MP, fiscal da lei, não deve ter tido nada a ver com isso. E nem o juiz.

Comentário do leitor "O Antirresumista": "Trata-se de um processo jabuti. O réu se autocondenou? (Viva a eficiência! Desafogando o Judiciário para o próximo relatório do CNJ! Prêmio para o juiz!)."

Mercado jurídico em expansão: novo livro sobre Direito Depurado
Na parte literária de O Sensacionalista Jurídico constam os lançamentos dos novos livros na praça jurídica. Muitos. Direito sem as partes chatas; Direito sem as partes horríveis, Direito sem palavras complicadas como solipsismo e epistemologia. Direito em cinco dimensões. Ou seis dimensões (por que não sete, ou nove?) Direito Desenhado. Mastigado. Resumo do Resumo. Rerresumo. Do resumo do rerresumo resumido. Há uma enquete do SJ: O Direito brasileiro está ou não está pronto para concorrer ao Nobel? Ah, não tem Nobel da área jurídica. Pena. O Brasil seria hors concours.

Nos comentários do SJ, houve uma briga generalizada. O jornal decidiu não publicar. Muita gente a favor do direito resumido e mastigado. A coisa não está fácil nem no Sensacionalista.

Por ter dado muito afeto, amante recebe herança em lugar da titular
Outra manchete: tribunal concede à amante a metade da herança. Com base na afetividade. Pois é. O "princípio da fidelidade" diz que a amante não herda. Alguém dirá que o editor do Sensacionalista inventou esse princípio. O Jornal confirma a invenção. E assegura que o novo princípio tem o mesmo grau de juridicidade que o fundamento que fundamenta dar metade da herança para a amante.

O Comentarista "Porteiro da Boate Azul Jurídica" escreveu: "Logo vai surgir um novo princípio: o da inclusão matrimonial."

Dallagnol vira tema de doutorado com frase sensacional
Manchete que vai ser tema de tese doutoral na Etiópia: procurador brasileiro diz que garantias constitucionais são filigranas; uma dissertação terá como tema "entre a politica e o direito, fico com a política", com a supervisão do próprio Procurador. A notícia não dá maiores detalhes. Por desnecessários.

Não houve comentários.

Advogado ameaça STF com ira divina
Outra notícia do SJ: Ainda repercutem as sustentações orais no STF para a defesa do direito fundamental de ir aos cultos e missas, tendo por base a Bíblia e não a Constituição. Sub-manchete: advogado ameaça o STF com a ira divina.

O comentarista "O Arcanjo" escreveu: "Melhor essa gente se cuidar e torcer para estar errada. Daqui a pouco vem um dilúvio."

Do baú do Sensacionalista Jurídico: Ministro diz que não devemos nos importar com a doutrina
Essa manchete vem de longe e foi profética (2004), da lavra de um Ministro do STJ de então: "Não me importa o que dizem os doutrinadores". É da série: "Ninguém nos dá lições" — enunciado que também está no referido voto. Que ficou registrado para a história.

O comentarista "Solus ipse" escreveu: "O juiz anti-doutrina virou doutrinador. Porque fez escola. E a moda pegou."

Observação do editor: "— Pegou, mesmo".




Topo da página

 é jurista, professor de Direito Constitucional e pós-doutor em Direito. Sócio do escritório Streck e Trindade Advogados Associados: www.streckadvogados.com.br.

Revista Consultor Jurídico, 29 de abril de 2021, 8h00

Comentários de leitores

12 comentários

F. Alonso

Edson Ronque III (Advogado Autônomo)

Fui aluno do prof. Fabio Alonso. Ele me deve uma caixa de cerveja, inclusive (ele disse que apostava com qualquer um que se o corinthians, em 2011, fosse pro último jogo do brasileirão contra o palmeiras precisando de algum tipo de resultado, não seria campeão. eu apostei. corinthians foi campeão naquele jogo. não recebi ainda, mas a culpa é minha, eu morava longe da faculdade e ele disse que pagaria pra tomarmos juntos. nunca deu certo).
Ele falava algumas besteiras na sala, mas nada nesse nível.

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Mais uma contribuição para o SJ.

Roberto DaMatta:

"Aqui, o ministro Gilmar Mendes afirma, com maestria sociológica, que o governo do PT engendrou um “plano perfeito” de poder. Num texto magistral, esse paladino da coerência continua: “Na verdade, o que se instalou no país nesses últimos anos, e está sendo revelado na Lava-Jato, é um modelo de governança corrupta. Algo que merece o nome, claro, de Cleptocracia”. Onde foi parar esse juiz? Será que ele foi canibalizado por sua imparcialidade?

Para concluir, lembro uma outra pérola do mesmo magistrado em sua resposta a um colega: “O moralismo é a pátria da imoralidade”."

https://blogs.oglobo.globo.com/opiniao/post/somos-todos-pacientes.html

Ze tarefa

F.r.s (Administrador)

Não sei o tô fazendo aqui mas como aluno de direito que sou penso que estou no caminho certo_ viva o js_ Rei morto rei posto.....

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/05/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.