Consultor Jurídico

Bruce Ackerman

Professor de Yale participará de debate promovido pelo IREE

A convite do IREE (Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa), fundado e presidido pelo advogado Walfrido Warde, da Faculdade de Direito de Contagem e da Editora Contracorrente, o professor Bruce Ackerman, um dos maiores especialistas em Direito Constitucional da atualidade, participa da live "Constituição, Democracia e Estado de Direito: o Caso Brasileiro". Será no próximo dia 10, às 19h, com tradução simultânea, com transmissão pelo aplicativo zoom. As vagas são limitadas e as inscrições, gratuitas, podem ser feitas aqui.

Bruce Ackerman, professor em Yale (EUA)

Professor de Direito e Ciências Políticas na Universidade de Yale (EUA), Ackerman é um profundo conhecedor da História do Brasil e autor de 19 livros sobre filosofia política, direito constitucional e políticas públicas, dentre ele o icônico "Social Justice in the Liberal State", cuja primeira edição foi publicada em 1980.

Coordenado por Walfrido Warde, o evento online com Ackerman terá por debatedores o subprocurador geral da República Antonio Carlos Bigonha e o diretor da Faculdade de Direito de Contagem, professor Luiz Moreira, com a mediação da professora Eneida Desiree Salgado, da Universidade Federal do Paraná.

O evento tratará também de temas como soberania popular, interferência do Poder Judiciário na política e as relações entre Brasil e Estados Unidos.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 7 de setembro de 2020, 12h13

Comentários de leitores

1 comentário

Palpiteiro americano

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Diz o texto: "Professor de Direito e Ciências Políticas na Universidade de Yale (EUA), Ackerman é um profundo conhecedor da História do Brasil e autor de 19 livros sobre filosofia política, direito constitucional e políticas públicas, dentre ele o icônico "Social Justice in the Liberal State", cuja primeira edição foi publicada em 1980".

Esse professor americano é um "palpiteiro", que quer ser ovacionado em congressos pelos "tupiniquins".

Comentários encerrados em 15/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.