Consultor Jurídico

Novos tempos

Aras propõe criação de novas unidades exclusivas de combate à corrupção

Nesta terça-feira (24/11), o procurador-Geral da República, Augusto Aras, enviou ofício ao Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF) com a proposta de criar novas unidades especializadas exclusivas de combate à corrupção nas capitais dos estados.

Augusto Aras, procurador-geral da República Rosinei Coutinho/STF

O CSMPF deve primeiro deliberar sobre a criação e em seguida sobre a possibilidade de alocação temporária dessas unidades nas procuradorias do Rio de Janeiro e do Paraná. A ideia é que os novos encarregados colaborem na resolução de investigações em andamento e ganhem experiência para atuar em seus estados após o período de um ano.

O conselheiro Alcides Martins, a quem foi enviada a proposta, é relator de um procedimento de reorganização do Ministério Público Federal (MPF). Ele poderá debater a criação de novos ofícios a partir de mudanças nos já existentes.

"Tenho certeza de que nos frutos do processo de extinção e fusão e redesenho de atribuições de unidades do Ministério Público Federal relatado por vossa excelência o egrégio Conselho Superior encontrará os meios viabilizadores desse grande e necessário passo do MPF no cumprimento de sua missão constitucional", escreveu Aras.

Além disso, o procurador-geral também sugeriu a criação de ofícios exclusivos de matéria ambiental nas capitais da região amazônica. Ele destacou a importância de ampliar o combate à corrupção em todo o território nacional e a questão estratégica de proteção do ecossistema da Amazônia, deixado de lado nos últimos anos em favor das regiões sul e sudeste. Com informações da assessoria do MPF.

Clique aqui para ler o ofício na íntegra




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 25 de novembro de 2020, 19h51

Comentários de leitores

1 comentário

Lamentável.

keubla2015 (Outros)

O PGR tinha de investigar corrupção no MPF. Principalmente câmeras ilegais na penitenciária federal e o falso sequestro do filho do então presidente Lula. Aí sim eu iria acreditar no combate à corrupção. Primeiro, limpa-se a própria casa, para depois limpar a dos outros.

Comentários encerrados em 03/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.