Consultor Jurídico

Lados do balcão

Sergio Moro começa a advogar produzindo pareceres

Assim como fizeram os ex-ministros Joaquim Barbosa (STF), Gilson Dipp (STJ) e outras estrelas da "lava jato", o ex-juiz e ex-ministro da Justiça entrou no mercado da produção de pareceres jurídicos. A notícia foi dada pelo Estadão e pela revista Veja na semana passada.

No domingo, o jornal O Globo informou que Moro já faturou pelo menos R$ 750 mil com três peças, uma delas contra a Vale, num caso relativo a fraudes financeiras

Nesta segunda-feira, o escritório Warde Advogados, que reúne expoentes como o ex-diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello e o ex-ministro da Transparência, Valdir Simão confirmou sua primeira encomenda a Moro, por nota:

"Warde Advogados, devidamente autorizado por seu cliente, informa que contratou, a pedido do empresário israelense Benjamin Steinmetz, parecer do ex-ministro Sergio Moro em um litígio transnacional, que se estabelece prioritariamente em Londres."




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de novembro de 2020, 12h20

Comentários de leitores

9 comentários

Agora pode

olhovivo (Outros)

Agora não fica ilegal e nem feio ser parcial.

No Brasil tudo pode.

João (Outros)

Sim, no Brasil tudo pode, inclusive citar os seus clientes.

Código de Ética

Ricardo Orsini (Consultor)

A divulgação de demandas ou de clientes é vedada pelo Código de Ética e Disciplina.

Art. 42. É vedado ao advogado:

IV - divulgar ou deixar que sejam divulgadas listas de clientes e demandas;

Código de Ética

Ricardo Orsini (Consultor)

Código de Ética e Disciplina da OAB
Art. 42. É vedado ao advogado:
IV - divulgar ou deixar que sejam divulgadas listas de clientes e demandas;

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 24/11/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.