Consultor Jurídico

Mercado Jurídico

Por Sérgio Rodas

Blogs

Direito fundamental

Startup Justify busca facilitar e simplificar acesso à Justiça

Desde 2016, Thiago Peixoto e Victor Catharino estiveram ao lado de advogados independentes e sócios de escritórios de advocacia estudando o comportamento das pessoas e avaliando ferramentas tecnológicas. Em 2018, eles fundaram a startup Justify – Justiça simples e digital, que tem o objetivo de facilitar e simplificar o acesso à Justiça. 

“Os cidadãos brasileiros estão desacostumados a exercer sua cidadania, especialmente no que diz respeito à exigir o correto atendimento pelas empresas”, afirma Thiago Peixoto. “Fizemos uma pesquisa com aproximadamente mil pessoas. Descobrimos que quando há um problema com uma empresa, cerca de 69% das pessoas 'deixam pra lá' e que apenas 11% dos entrevistados 'quase sempre' exigem o seu direito”, completa Victor Catharino.

O Brasil conta com quase 80 milhões de processos judiciais e apenas 1,09% das despesas do Judiciário é destinado à assistência de justiça gratuita (CNJ - Justiça em Números 2019), o que revela que grande parte da população ainda não conta, de fato, com a Justiça, seja pelas barreiras de acesso físico, falta de hábito ou desconhecimento.

“Temos a esperança de que mais escritórios de advocacia e esferas públicas estabeleçam parcerias com startups de tecnologia. Quanto mais simplificarmos o acesso às soluções amigáveis, à mediação e à Justiça mais próximos estaremos de uma sociedade com melhores serviços para a população” destaca Thiago Peixoto.

A nova empresa firmou parceria com o Gouvêa Advogados Associados (GAA). O GAA apoia a Justify porque “ela amplia o acesso do cidadão ao Poder Judiciário e “quanto mais as pessoas puderem cobrar a responsabilidade das empresas – dentro ou fora do Judiciário, melhores serão os produtos e os serviços prestados” afirma a sócia-diretora da banca Luciana Gouvêa.

“O GAA vai auxiliar na consultoria e assessoria para desenvolvimento da comunicação e apoio aos advogados na elaboração e acompanhamento dos pedidos à Justiça enquanto o escritório aprende, com a Justify, formas de trabalhar com o aparato digital e tecnológico simplificando os processos”.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 7 de março de 2020, 10h29

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 15/03/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.