Consultor Jurídico

Opinião

Como se destacar na advocacia iniciante dos tempos atuais

Por 

Os paradigmas para exercer uma boa advocacia mudaram. Enquanto há alguns anos o advogado transitava por diversas áreas, hoje ele está cada vez mais especializado. Esse é o resultado de um grande número de advogados no mercado e da saturação de algumas áreas de atuação.

Como se destacar em um mercado de trabalho que tem cada vez mais advogados? A resposta para essa pergunta não é simples, tampouco pretendo exaurir possibilidades, mas gostaria de dar algumas dicas que considero importantes para se destacar na advocacia.

A primeira, e considero a mais importante, é: estude! Ao sair da universidade, o profissional tem a falsa impressão de que está totalmente preparado para advogar em plenitude. Além das dificuldades práticas, o advogado vai encontrar diversas situações que demandarão muito estudo. A legislação muda diariamente e, se o advogado deixar de estudar, em pouco tempo estará desatualizado.

A segunda é: seja ético e sincero. A ética deve acompanhar o advogado durante toda a sua carreira. Saber os limites estipulados pelo Código de Ética e Disciplina da OAB e respeitá-los é essencial para uma advocacia de sucesso. A sinceridade é necessária na relação com o cliente, pois gera confiança. Mentir para o cliente em qualquer situação abala a confiança e pode gerar infrações éticas.

A terceira é: seja comunicativo e faça publicidade. Já diziam que "quem não é visto, não é lembrado", e essa frase faz muito sentido se você está tentando se colocar no mercado de trabalho. Ninguém vai aparecer em seu escritório ou entrar em contato se não souber o que você faz. Faça publicidade respeitando os limites colocados pela OAB e você se surpreenderá com o resultado que isso pode trazer para a sua advocacia. Participar de eventos jurídicos e não-jurídicos, envolver-se nas comissões da OAB e fazer atividades que tenham contato com outras pessoas aumentam a sua rede de contatos e as pessoas se lembrarão de você quando precisarem de um advogado.

A quarta é: não faça mais do mesmo. Procure uma área de atuação que seja pouco explorada pela advocacia. Existem novos nichos de trabalho com poucos profissionais e que precisam ser explorados pela jovem advocacia. O advogado que observar isso poderá se tornar autoridade no assunto e se destacar.

A quinta, e não menos importante, é: respeite os seus limites. Abraçar o mundo em qualquer situação é prejudicial e na advocacia pode ser um comportamento catastrófico para quem está tentando construir uma carreira sólida. Aprender a dizer não é um dos grandes desafios para manter a saúde mental e alcançar todos os objetivos profissionais.

Uma dica extremamente importante é respeitar a tabela de honorários. A valorização profissional deve começar pelo próprio advogado. Enquanto cobrar abaixo da tabela, além de aviltar os honorários, o profissional estará puxando o preço de outros colegas para patamares mais baixos. Ademais, o profissional não sentirá que o seu serviço está sendo remunerado adequadamente e isso poderá gerar um efeito muito prejudicial, que é o advogado não defender os interesses do cliente com toda a garra que deveria.

Por fim, um advogado deve conhecer as suas prerrogativas. Aquele que não conhece as suas prerrogativas profissionais não conseguirá defender os interesses de seu cliente de forma absoluta.




Topo da página

 é presidente da Comissão da Advocacia Iniciante da OAB-PR e membro da Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero da OAB-PR.

Revista Consultor Jurídico, 22 de maio de 2020, 20h06

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/05/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.