Consultor Jurídico

Copia e cola

Sergio Moro admite ter assinado artigo com plágio de aluna

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e ex-juiz federal Sergio Moro admitiu que assinou, como co-autor, texto com plágio de um artigo publicado pela ConJur. O portal Metrópoles foi quem noticiou o fato, mostrando os trechos copiados do advogado Marcelo Augusto Rodrigues de Lemos no artigo de Moro e da advogada Beathrys Ricci Emerich. O trabalho da dupla foi publicado na revista Relações Internacionais no Mundo Atual, da UniCuritiba.

A explicação de Moro é que o texto, na verdade, foi feito pela coautora, Emerich, na condição de orientanda sua no curso de Mestrado. Em nota, o ex-juiz alegou: "Infelizmente, ela cometeu um erro metodológico ao utilizar dois pequenos trechos sem citar o autor. O artigo foi retirado da revista, ela já reconheceu o erro e pediu desculpas ao autor."

O ex-ministro Sergio Moro escreveu o
texto em parceria com uma advogada
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Lemos publicou o texto na ConJur em setembro do ano passado. A edição da revista em que o trabalho de Moro e Emerich foi publicado com data de abril/junho de 2019, mas a bibliografia feita pela advogada revela que, na verdade, o texto foi produzido depois de abril deste ano, o que é confirmado por postagens de Emerich em redes sociais.

Os artigos tratam de lavagem de dinheiro do crime organizado por meio do pagamento a advogados. O texto de Lemos fala sobre o aviltamento do livre exercício da advocacia em tempos de crise. 

Após a revelação do plágio, o texto de Moro e Emerich foi inicialmente retirado dos arquivos da Unicuritiba.

Depois, Emerich retificou o texto, com pedido de desculpas. Ela admite "erro metodológico" por ter omitido "inadvertidamente (...) as referências à citação de um parágrafo do artigo científico de autoria do ilustre jurista, Dr. Marcelo Augusto Rodrigues de Lemos". Assim, afirma na nova versão do artigo que incluiu em nota de rodapé a referência ao autor. Ela também faz pedido de desculpas a Lemos e a Moro.

Em nota, Sergio Moro afirma que a redação do artigo que continha plágio foi feita integralmente por Emerich, sua orientanda (apesar de ele também assinar o texto). Veja a íntegra:

"O artigo em questão foi escrito em coautoria acadêmica, sendo a redação toda da orientanda. Infelizmente, ela cometeu um erro metodológico ao utilizar dois pequenos trechos sem citar o autor. O artigo foi retirado da revista, ela já reconheceu o erro e pediu desculpas ao autor. É o trabalho de uma aluna de pós graduação que cometeu um erro e já o corrigiu, o que é louvável."

Leia o pedido de desculpas de Beathrys Emerich:

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O artigo era composto de 16 páginas, com 22 referências bibliográficas, e foi por mim redigido, como atividade integrante da avaliação da disciplina ministrada pelo Dr. Sergio Moro. A redação do artigo foi minha e, infelizmente, acabou acontecendo a falha metodológica consistente na ausência de citação do ilustre Autor Dr. Marcelo Augusto Rodrigues de Lemos. Reconheço a falha não intencional, mesmo porque não havia motivos para não citar o autor, tendo em vista que o trabalho citou mais de vinte outros autores. O artigo foi por mim redigido, bem como pedi escusas ao Autor do trabalho, as quais foram aceitas. O Centro Universitário Curitiba — Unicuritiba já retirou o artigo da revista “Relações Internacionais do Mundo Atual”. Aproveito o ensejo para pedir sinceras desculpas ao Professor Sergio Moro, bem como à instituição de ensino.

Beathrys Ricci Emerich, 27 de junho de 2020

Texto alterado às 10h50 e às 12h27 de 27/6, para correção e atualização de informações.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 26 de junho de 2020, 21h39

Comentários de leitores

20 comentários

Moro sendo Moro!!!!

marciofreire66 (Advogado Autônomo - Tributária)

Só isso! Sem novidades!

Sergio Moro admite ter assinado artigo com plágio de aluna

Mari Ribeiro (Advogado Autônomo - Consumidor)

A cada dia de confirma mais a má índole desse senhor. Fala errado, escreve errado. Que orientador é esse? Vergonhoso. Agora quer advogar. Espero que a OAB não facilite a vida desse senhor. Tem que passar o período necessário para se desvincular e deve prestar o exame da Ordem como qualquer advogado.

Falta de acuidade e zelo: a vaidade e a empáfia, mais alto

MACACO & PAPAGAIO (Outros)

Foi erro metodológico pedir pensão para assumir um cargo de Ministro?
Foi erro metodológico não ter denunciado antes o Presidente por suposta tentativa de interferência política na PF?
Foi erro metodológico as conversas em conluio com os acusadores para condenar réus, enquanto suas defesas sequer eram lidas ?
Infelizmente, a máscara dos "erros metodológicos" estão tornando-se uma vertente na vida deste sujeito a quem o Brasil admirava.
Especialista em matéria de firulas, sofismas e desculpas, são, igualmente, nabescas e infantis as tentativas agora de defendê-lo, ou de autocorrigir-se.
Se o artigo foi em coautoria ...como as desculpas só de um?
E as desculpas do super-herói de Curitiba ao autor?
Ah sim, pelo visto, ele só lê e assina formalmente o que lhe é (ou lhe foi) conveniente.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 04/07/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.